Artista transgénero, Mykki Blanco é responsável de um espaço muito próprio "no questionamento do universo simbólico de um género marcado por ideias de machismo e violência", valoriza a organização do certamente açoriano.

O Tremor, que decorre na ilha de São Miguel, de 20 a 24 de março, anunciou hoje também novos nomes que se vão apresentar nos Açores em concerto. A estreia absoluta de Mal Devisa, projecto a solo de Deja Carr, neta do músico de jazz nova-iorquino Bruno Carr, e os regressos de Miss Red e Baby Dee são novidades na edição deste ano.

Um espectáculo audiovisual de Aïsha Devi e Emile Barret foi também hoje anunciado pela organização do Tremor.

Nomes internacionais como Boogarins, Mdou Moctar ou The Mauskovic Dance Band Dead Combo e figuras da música nacional como Ermo, Dead Combo ou The Parkinsons são alguns outros nomes já confirmados para a edição deste ano do festival açoriano.

Segundo a organização, o Tremor pretende reforçar em 2018 a sua posição "como palco por excelência para a experiência musical no centro do Atlântico".

O cartaz volta a "desenhar uma programação interdisciplinar de concertos surpresa em locais inesperados da ilha, espetáculos e interações na paisagem, laboratórios, pensamento e reflexão, arte nas ruas e residências artísticas".

O festival Tremor é uma coprodução da Lovers & Lollypops, Yuzin e António Pedro Lopes, e, nas próximas semanas, continuará a revelar nomes confirmados para a edição de 2018, a quinta do certame.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.