Catarina Pires era um dos 21 finalistas da 48.ª edição da competição internacional e um dos três portugueses selecionados para a competição, com Diogo Bettencourt, da DNA N’Arts School, de Coimbra, e Pedro Silveira, da Escola de Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa.

A bailarina portuguesa estava entre os 84 bailarinos selecionados para a competição, 51 dos quais raparigas e 33 rapazes, provenientes de 27 países.

As semifinais decorreram sexta-feira, em Lausanne, e as finais realizaram-se hoje.

O Prix de Lausanne, um dos mais importantes galardões dedicados à dança, foi criado em 1973, tem por objetivo identificar novos valores, no termo da sua formação como bailarinos, e é gerido pela Fondation en Faveur de l’Art Chorégraphique.

O prémio traduz-se numa bolsa de formação em escolas e companhias internacionais, depois de uma semana de avaliações, durante as provas do prémio, em contexto de aula e de atuação em palco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.