Atribuídos em parceria com o Ministério da Cultura e a Fundação Millennium bcp, o Prémio AICA/MC/Millennium bcp 2021, no valor de 10.000 euros para cada modalidade, foi atribuído na sequência da apreciação de um júri independente, nomeado pela associação.

O Prémio AICA de Artes Visuais foi atribuído a Rui Chafes, pela exposição individual “Nada Existe”, realizada na Galeria Filomena Soares, em Lisboa, em 2021.

O Prémio AICA de Arquitectura foi atribuído a Nuno Brandão Costa, pela obra do Terminal Intermodal de Campanhã, no Porto, cujos edifícios foram concluídos em 2021.

Composto por Luísa Soares de Oliveira, Paulo Pires do Vale e Inês Lobo e Rui Mendes, o júri foi presidido por Catarina Rosendo, como indica comunicado da AICA.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.