De acordo com a produtora Karnart, esta ‘perfinst’ (‘performance’ e instalação) estreia-se às 21:00, no palco do Teatro Thalia, construído em 1820, arrasado por um incêndio em 1862, e alvo de obras de reconstrução dois séculos mais tarde.

Ainda segundo a produção, é neste mesmo espaço que o espetáculo “Fogo” se inspira, a partir dos laboratórios de ciência e gabinetes de curiosidades.

Neste espetáculo, que cruza as artes performativas e as artes plásticas, quatro atores e um ‘body-artist’ vão dar corpo a uma série de personagens e instalações, criando composições que remetem para cinema, fotografia e pintura.

Por seu turno, o público vai ser convidado a circular pelo espaço de cena e a escolher diferentes pontos de vista para assistir ao espetáculo.

“Fogo” tem interpretação de Bibi Perestrelo, Xana Lagusi, Ivone Fernandes-Jesus, Marco Patrocínio e Fernando Grilo.

O Teatro Thalia foi inaugurado em 1843, pelo conde de Farrobo, para seu uso pessoal, mas pouco depois foi atingido por um incêndio que o afetou gravemente, permanecendo em ruínas durante mais de 160 anos.

Em 2008, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, na altura dirigido por Mariano Gago, encomendou um projeto de recuperação do edifício aos gabinetes de Gonçalo Byrne Arquitetos e Barbas Lopes Arquitetos, em Lisboa, de Patrícia Barbas e Diogo Seixas Lopes.

O espetáculo “Fogo” é promovido pela Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, em articulação com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

“Fogo” ficará em cena até 29 de janeiro, de quinta-feira a sábado, às 21:00, e ao domingo, às 17:00.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.