1. O primeiro Festival Eurovisão da Canção realizou-se no dia 24 de maio de 1956 em Lugano, na Suíça. Na primeira edição do festival participaram apenas 7 países: Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Itália, Luxemburgo e Suíça. O país anfitrião ganhou a primeira edição com "Refrain", tema interpretado por Lys Assia.

2. Ao Festival já concorreram mais de 1500 canções. Se alguém as quisesse escutar a todas, sem pausas, precisaria de quase 72 horas.

3. Em 1957, a canção italiana, "Corde della mia chitarra", tinha a duração de 5 minutos e 9 segundos. Algo que não se repetiu uma vez que as regras foram alteradas e, agora, as canções concorrentes não podem durar mais de 3 minutos. A canção mais curta da história do certame tem apenas 1 minuto e 27 segundos: “Aina Mun Pitaa”, tema com o qual a Finlândia concorreu em 2015.

4. O primeiro escândalo da história da Eurovisão ocorreu em 1957, quando os concorrentes dinamarqueses, Birthe Wilke e Gustav Winckler, se beijaram durante 11 segundos no final da sua atuação.

5. A canção com mais versões da história da Eurovisão é “Nel Blu Dipinto Di Blu”, de Domenico Modugno (1958), também conhecida como “Volare”. Nomes como Dean Martin, Cliff Richard, David Bowie e os Gipsy Kings já a cantaram.

6. O Luxemburgo já venceu por 5 vezes (1961, 1965, 1972, 1973 e 1983), sem que nenhum dos seus concorrentes fosse luxemburguês. Quatro eram franceses e uma, Vicky Leandros, era grega.

7. Esta é a 50ª participação de Portugal. A primeira vez foi em 1964, com o tema “Oração”, de António Calvário. O país não participou em apenas cinco edições: 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016.

8. O primeiro Festival da Eurovisão transmitido a cores teve lugar em 1968, no Royal Albert Hall (Londres, Inglaterra).

9. A canção com a qual Espanha concorreu em 1968, “La La La”, contém nada mais nada menos que 138 'las'. E ganhou.

10. A Irlanda é o país com mais vitórias no Festival Eurovisão da Canção, sete, mas não vence há 21 anos, sendo ainda detentora do maior número de triunfos consecutivos, três, entre 1992 e 1994.

11. Por oposição, a Noruega já ficou 11 vezes no fundo da classificação (1963, 1969, 1974, 1976, 1978, 1981, 1990, 1997, 2001, 2004 e na final de 2012), apesar de também já ter ganhado por três vezes (1985, 1995 e 2009).

12. Apesar de já se terem realizado 62 edições do Festival da Eurovisão, há 65 vencedores, uma vez que em 1969 quatro países terminaram empatados no topo da classificação (Reino Unido, Espanha, França e Holanda), não havendo, à altura, qualquer regra de desempate.

13. A Áustria, a Finlândia, a Noruega, Portugal e a Suécia boicotaram o concurso em 1970, insatisfeitos com os resultados verificados em 1969 e com a estrutura das votações.

14. Em 1971, foi acordado que cada país poderia ter até seis artistas em palco. Até então, só eram permitidos solos ou duetos. Animais continuam a não ser permitidos.

15. De 1978 a 1998, as regras indicavam que cada país teria que cantar numa das suas línguas oficiais. E a presença de uma orquestra em palco foi obrigatória até 1998.

16. O concurso teve lugar fora do continente Europeu pela primeira vez em 1979, tendo-se realizado em Jerusalém.

17. Marrocos já participou no Festival Eurovisão da Canção, por uma vez, em 1980. Terminou no penúltimo lugar, tendo recebido pontos apenas da Itália.

18. O irlandês Johnny Logan venceu duas vezes como intérprete (1980 e 1987), o único repetente até à data.

19. Em 1981, a Itália boicotou o concurso dizendo que era “demasiado antiquado”.

20. A concorrente belga de 1986, que venceu esse concurso, tinha apenas 13 anos, apesar de ter dito aos produtores que tinha 15. Sandra Kim ainda hoje é a vencedora mais jovem de sempre. Em 1989, a concorrente francesa tinha apenas 11 anos, e o israelita apenas 12. No ano seguinte, decidiu-se que os concorrentes deveriam ter mais de 16 anos de idade à data do dia da Grande Final. O concorrente mais velho até hoje é Emil Ramsauer, que tinha 95 anos quando concorreu com a banda Takasa, em 2013, pela Suíça.

21. Entre os concorrentes que tiveram carreiras de sucesso após participarem no concurso contam-se os ABBA, Céline Dion, Cliff Richard e Júlio Iglésias. Apesar de ser canadiana, Céline Dion concorreu pela Suíça, em 1988, com a canção “Ne Partez Pas Sans Moi”. E já agora, os ABBA receberam, em 1974, zero pontos do Reino Unido.

22. O televoto foi instituído em 1997. Até então, os resultados eram decididos por um júri nacional.

23. O maior número de espetadores a assistir ao vivo à final registou-se em 2001, quando cerca de 38 mil pessoas marcaram presença no Estádio Parken, em Copenhaga, para assistir à primeira vitória da Estónia no certame. O maior número de países participantes – 43 – deu-se em 2008, 2011 e no presente ano.

24. Em 2011, Lena, vencedora do Festival Eurovisão da Canção em 2010, decidiu defender o título em casa — na Alemanha. E não foi a primeira a fazê-lo. Já em 1957 a suíça Lys Assia o tinha tentado, depois de vencer a primeira edição do concurso.

25. E já se perguntou porque é que a Austrália faz parte da competição? O país foi convidado a participar no concurso pela primeira vez em 2015, por ocasião do 60ª aniversário da Eurovisão. E apesar de nunca ter participado até essa data, desde 2005 que o concurso europeu era transmitido anualmente pelo canal de televisão do país, a SBS, tendo ganho popularidade e muitos fãs. A sua estreia, com Guy Sebastian, correu tão bem (um quinto lugar) que valeu à Austrália um lugar definitivo na Eurovisão.

26. Em 2015, o Festival foi reconhecido pelo Livro de Recordes 'Guinness' como o mais longo programa anual de competição de música.

27. Portugal detém atualmente o recorde de pontos numa Grande Final. Em 2017, Salvador Sobral venceu o concurso com um recorde de 758 pontos, por “Amar Pelos Dois”.

28. O compositor alemão Ralph Siegel participou em 22 edições do Festival da Eurovisão, a última no ano passado, quando compôs a canção de São Marino. Venceu uma única vez, em 1982, com o tema da Alemanha, "Ein Bißchen Frieden"

29. Após a vitória de Salvador Sobral, o país com maior número de presenças sem vitórias é o Chipre (com 34 participações). Segue-se-lhe Malta e a Islândia (ambas com 30 participações). Em 2017 Portugal contava 48 participações sem uma vitória.

30. Em 2018, pela primeira vez na história do concurso, Portugal não deverá o único país a cantar na língua de Camões. A concorrente que representa a Eslovénia, Lea Sirk, também irá cantar uma parte da letra do seu tema, "Hvala, ne!",  em português. Se se confirmarem os ensaios, esta pode ser uma das grandes surpresas desta edição. Recorde-se que a cantora já tinha feito uma versão de "Amar pelos Dois" na versão eslovaca de "A Tua Cara Não Me é Estranha". E engane-se quem pense que Cláudia Pascoal e Isaura serão as únicas portuguesas a brilhar no palco da Altice Arena. Rui Andrade, Hugo Baptista, Salomé Caldeira e Sandra d’Andrade fazem parte, como coros, da comitiva do Azerbaijão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.