“Ana Luísa Amaral é a autora celebrada na edição de 2022 da Feira do Livro do Porto, que já tem data marcada: de 26 de agosto a 11 de setembro. O festival literário vai decorrer, como habitual, nos Jardins do Palácio de Cristal”, pode ler-se num comunicado hoje enviado pela autarquia portuense.

A autora nascida em abril de 1956 em Lisboa e residente em Leça da Palmeira (Matosinhos) desde criança é apresentada pela Câmara do Porto como uma “portuense de adoção” e “uma das mais notáveis poetas, tradutoras e académicas portuguesas”.

“Notabiliza-se, também, como escritora para o público infantojuvenil, além de prosseguir uma atividade intensa e comprometida com o estudo da obra de mulheres escritoras”, pode ler-se no comunicado.

A autarquia presidida por Rui Moreira assinala que o feminismo de Ana Luísa Amaral é “ilustrado, amoroso e visionário”, comprovando-se “não só na preponderância que as figuras femininas, as suas vozes e mundividências milenariamente silenciadas têm na sua poesia, mas, do mesmo modo, no seu percurso académico e como tradutora”.

“Para além de um doutoramento sobre a poesia de Emily Dickinson, as suas áreas de investigação são Poéticas Comparadas, Estudos Feministas e Estudos Queer”, recorda o comunicado.

A Câmara do Porto lembra também que Ana Luísa Amaral foi professora associada da Faculdade de Letras local e “integra como membro sénior o Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, o qual dirigiu por mais de uma década”.

A autora homenageada na edição deste ano foi ainda “responsável pelos projetos Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois (Dom Quixote, 2014) e New Portuguese Letters to the World (Peter Lang, 2015)”, contando atualmente com um programa na Antena 2 chamado ‘O Som que os Versos Fazem ao Abrir’.

Ana Luísa Amaral tem dezenas de títulos de poesia publicados, desde “Minha Senhora de Quê” (1990), além de já ter escrito teatro, ficção e vários livros para a infância.

A sua obra encontra-se traduzida e publicada em várias línguas e países, tendo obtido numerosas distinções, como o Prémio Literário Correntes d’Escritas, o Premio Letterario Poesia Giuseppe Acerbi e o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores.

No ano passado, Ana Luísa Amaral foi galardoada com o prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-americana, em Salamanca (Espanha), recebeu o Prémio Vergílio Ferreira, de carreira, da Universidade de Évora, e foi também homenageada na Festa da Poesia de Matosinhos, concelho vizinho do Porto no qual reside.

“Ana Luísa Amaral junta-se, assim, a um leque de autores homenageados no festival literário tais como Vasco Graça Moura, Agustina Bessa-Luís, Mário Cláudio, Sophia de Mello Breyner Andresen, Leonor de Almeida (entre outros), com a atribuição de uma tília nos Jardins do Palácio de Cristal”, recorda a Câmara do Porto.

Em 2021, o autor homenageado pelo certame portuense foi Júlio Dinis (1839-1871), e o evento teve como mote “herborizar”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.