O anúncio foi feito através de um vídeo publicado na página de Facebook oficial do evento.

Segundo a organização o MIL é um “festival e convenção dedicado à promoção e internacionalização da música popular contemporânea”, procurando ser “o ponto de encontro entre profissionais das indústrias da música dos países de língua portuguesa com agentes de todo o mundo”

Ao todo, serão 70 o número de bandas e artistas espalhados por vários palcos presentes em estabelecimentos bem conhecidos do Cais do Sodré, em Lisboa.

Pensado para ser uma montra de artistas nacionais e lusófonos, o MIL confirmou para esta edição os projetos 2de1, A Negra, Beautify Junkyards, Bluish, Cave Story, Conan Osiris, Conjunto Corona, Filho da Mãe, Ghost Hunt, Jaloo, João Pais Filipe, Miroca Paris, NEEV, Octa Push, Otrotorto, PAUS, Ramonzin, Reis da República, Rubel, Scúru Fitchádu, Solar Corona e Venga Venga.

Estes juntam-se aos previamente anunciados Bateu Matou, Beatriz Pessoa, Blaya, Ditch Days, Fogo Fogo, Melquiades, Môrus, a ex-vocalista dos Buraka Som Sistema Pongo, Pedro Mafama, os brasileiros Bike e Edgar, e o angolano Toty Sa’med.

No rol de presenças internacionais, os novos artistas que têm data marcada em Lisboa são 88Balaz, Annie Sama, Dope Saint Jude, ESC, F/E/A, Ibaaku, Intana, Kompromat, Marc Melià, MC Buseta, MDCIII, Monolithe Noir, Nouveaux Climats, Omar Jr, Rumbo Tumba, Rymz, SEN, Sturle Dagsland, e Weekend Affair.

O lote de música internacional fica assim completo, tendo já sido confirmados anteriormente Blu Samu, Bobbie Johnson, Bruno Belissimo e Myss Keta, Charlie & The Lesbians, The Homesick, Guiss Guiss Bou Bess, HYSJ, Italia 90, La Yegros, Moon Gogo, Tribade e Someone Who Isn’t Me.

Paralelamente, o Programa PRO desta edição, a faceta de convenção do MIL, dirigida a profissionais e estudantes do sector da música, vai contar com mais de 30 debates, keynotes, masterclasses e diversas oportunidades de formação e networking.

Entre os convidados internacionais, estão nomes como o do conceituado crítico de música Simon Reynolds, Emily Gonneau, co-fundadora da agência Nuagency, Christine Nitsch, VP Strategy & Analytics da plataforma Soundcloud,  Katarina Becic, chefe do departamento de redes sociais do software de produção musical Ableton e embaixadora da fundação Keychange, e dos produtores Pete Kember e Pena Schmidt.

Para além disso, esta edição vai ter três workshops distintos, orientados por profissionais especialistas. Manuel Faria, ex-músico dos Trovante, produtor e fundador do estúdio Indigo conduzirá um workshop sobre produção musical. Yannick Jame, fundador da Rossio Music Publishing e especialista na temáticas do direitos de autor, vai dar um workshop sobre publishing e Hugo Hernandez, Director-Geral Ibérico da distribuidora Believe Digital, é o responsável pelo workshop sobre playlists e boas práticas de trade marketing.

Em 2018, o MIL reuniu, em três dias, 608 profissionais e 232 artistas de 19 países, num total de 76 espectáculos e 37 debates, masterclasses, keynotes, apresentações e meetings. Este ano a organização quer superar estes números e "acima de tudo, a experiência".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.