Em comunicado, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC), que partilha a organização da mostra com a Fundación Cum Laude, adiantou que estarão ainda patentes trabalhos de Andy Warhol, Steve Kaufman, Keith Haring, Robert Indiana, Roy Lichtenstein, Pietro Psaier, Mel Ramos e Robert Rauschenberg.

A mostra, intitulada "Pure Pop Art" tem inauguração marcada para dia 13, pelas 18:00, no museu da Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira, instalado no fórum cultural daquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

Segundo a FBAC, "trata-se de uma coleção privada de arte gráfica da empresa MBA Grupo Incorporado que será apresentada pela primeira vez em Portugal".

"Para nós é uma honra apresentar no Museu Bienal de Cerveira estes grandes nomes intemporais da Pop Art e esta que é uma das artistas mais conceituadas do país, a Joana Vasconcelos", afirmou o presidente da FBAC, Fernando Nogueira, citado naquela nota.

Já a curadora da exposição, Ángeles Rodríguez Baliño, classificou de "desafio e responsabilidade" a realização da exposição em Vila Nova de Cerveira.

"Uni-la a uma obra de Joana Vasconcelos é certificar que este movimento intemporal está mais vivo do que nunca", referiu.

As serigrafias, os cartazes e as instalações "representam ícones populares da época que o visitante vai reconhecer".

"A partir de mais de 120 obras, a mostra apresenta um toque nostálgico à memória de Marilyn e James Dean, com uma profunda admiração ao trabalho de Warhol, a curiosidade da figura de Pietro Psaier e a responsabilidade social de Steve Kaufman, a exuberância de Keith Haring, o excelente trabalho de Mel Ramos, a inovação de Rauchsenberg e uma pequena menção a Robert Indiana", acrescentou Ángeles Rodríguez Baliño.

A exposição, que permanecerá de portas abertas até 19 de outubro, integra ainda dois vídeos cedidos pela Tate, de Londres.

O movimento Pop Art "surgiu em Londres, Inglaterra, na década de 1950 e alcançou a sua maturidade em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, nos anos 60".

O movimento "liga a arte à produção em massa, a popularidade com a vanguarda e desenvolve um novo conceito artístico ao relacionar-se intimamente com a sociedade de consumo".

Em maio, o museu da Bienal de Arte de Cerveira, foi distinguido com o Prémio Museu do Ano 2019, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM).

O Prémio Museu do Ano é uma das principais distinções atribuídas pela APOM, num total de 27 categorias a concurso, que distinguem, entre outras áreas, a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, a melhor exposição, mecenato e projeto museográfico.

A distinção, este ano, do museu pela APOM, visa a entidade responsável pela organização e gestão do acervo de obras de arte criado ao longo do decurso do certame dedicado à arte contemporânea, que se realiza há mais de 40 anos, em Vila Nova de Cerveira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.