Antes de apresentar o filme "Maléna" (2000), que foi hoje exibido no Cinema Monumental e do qual é protagonista, Monica Bellucci conversou com os jornalistas sobre a sua carreira, sobre a sua beleza e sobre o seu encantamento por Portugal.

Aos 52 anos e depois de 25 de carreira, a atriz reconhece ter uma maior maturidade e disse que já não procura o mesmo de antes.

"Antes procurava desafios. Sei que sou melhor agora. Agora, depois de 25 anos de trabalho, consigo ver mais sobre o que procuro para o meu trabalho. Procuro alguma coisa durante o processo do meu trabalho. Procuro o que é a feminilidade, o poder feminino, que pode ser muito frágil e ao mesmo tempo tão forte", contou a atriz.

"No fundo, procuro a felicidade e essa procura é muito importante", resumiu.

De uma beleza e sensualidade reconhecida, Monica Bellucci sublinha que a beleza interior acaba por ser muito mais atrativa do que a exterior.

"Sou uma mulher normal. Há muitas atrizes que são bonitas. O que é interessante é ver como a beleza muda e a beleza da juventude é muito curta. Aceitar essa mudança é que é muito bonito. As mulheres com o passar da idade continuam muito bonitas. A beleza vai de fora para dentro. Representar vem da alma. Tem de se ter mais alguma coisa além da beleza", sustentou.

Depois de ter comprado recentemente um apartamento em Lisboa, a atriz admitiu que gostava de fazer um filme em Portugal.

"Eu vivo em Paris, mas quero saber mais sobre Portugal. Não conseguimos explicar porque gostamos de alguns lugares. Quando vim aqui pela primeira vez senti uma coisa que não consigo explicar. Foi há mais de 14 anos, em férias. Tenho um amigo que vive cá, então vinha de vez em quando e dizia "um dia hei de ter aqui uma casa" e ‘et voilá'", contou.

O encantamento por Portugal é antigo e "uma certa timidez" dos portugueses é das coisas que mais a atrai.

"Há uma certa timidez em Portugal de que gosto muito. Eu também sou tímida. Quando conheço portugueses, em restaurantes ou assim, nunca me pedem para tirar fotos ou autógrafos. Não é que eu tenha problemas com isso, mas acho incrível. Apenas me dizem que estão muito contentes de me ter cá", revelou.

Sem especial interesse em produzir ou realizar no cinema, Monica Bellucci referiu que o que gosta mesmo é de representar e que, às vezes, o gosto pelo argumento e realizador é "inconsciente".

Monica Bellucci é protagonista do mais recente filme de Emir Kusturika "On the Milky Road", um realizador com quem sempre quis trabalhar, na qual teve de enfrentar o desafio de falar sérvio.

"Foi muito desafiante, muito interessante e ao mesmo tempo arriscado, mas nunca fiquei aborrecida. Trabalhámos durante muito tempo, quatro anos neste filme. Foi interessante estar na terra dele com ele. Fiquei encantada com a forma como ele trabalha. Ele é muito sensível, é um poeta por dentro, apesar daquele ar mais rude", disse.

Sobre "Maléna", de Giuseppe Tornatore, a atriz contou que a escolha do filme no festival de cinema português foi por ter sido aquele que lhe abriu portas para uma carreira internacional e pela mensagem sobre o amor.

No final da conversa com os jornalistas, Monica Bellucci conversou também com o público, antes da exibição do filme.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.