A participação na guerra de Portugal, que então tinha como primeiro-ministro Afonso Costa, acontece sobretudo como forma de consolidar o reconhecimento, a nível internacional, da jovem e conturbada República Portuguesa (mais ainda numa Europa quase toda monárquica). Entre outras coisas, estava em jogo a posse das colónias portuguesas, que corriam o risco de ser usadas como moeda de troca entre as potências beligerantes, no final do conflito.

Embora o Corpo Expedicionário Português (CEP) já em 1914 combatesse os alemães nas fronteiras de Angola e Moçambique, a sua intervenção na Europa começou em 1917 - envolvendo cerca de 55 mil dos 105 mil soldados que integravam o CEP. A guerra terminou a 11 de novembro de 1918, deixando Portugal com cerca de 20 mil mortos e uma crise económica ainda mais devastadora.

A revista Ilustração Portugesa, fundada em 1903, destacou-se, nas décadas seguintes, pela proposta de informar através da imagem - com ilustração, mas também fotografia, uma marca de modernidade na época. Além disso, aceitava colaborações dos leitores, e foram vários os militares que participaram na I Grande Guerra que enviaram as suas imagens.

Veja aqui algumas imagens da Ilustração Portuguesa sobre o conflito:

Veja também os Diários da grande guerra: Testemunhos portugueses, da Biblioteca Nacional de Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.