A peça, da autoria do poeta e dramaturgo galês Owen Sheers, decorre em 1935, ano da morte do poeta português, e coloca os três heterónimos Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis a discutir sobre o criador.

Apesar de as cenas serem imaginadas a decorrer em Lisboa, a produção britânica intitulada "All I Was When I Wasn't Anyone” foi gravada na cidade do Porto, com sons da rua, fado e um elenco local.

Além do vencedor do Prémio Pessoa 2022, João Luís Barreto Guimarães, participaram na peça Jaime Monsanto, Pedro Manana, Rui Maria Pêgo, Sofia Espírito Santo, Joana Brito Silva e Nuno Orrego.

A peça é descrita como uma “exploração divertida e lírica da imaginação literária, da perda, do amor, do sentimento e do contínuo puzzle existencial da identidade”.

“Se pegares em qualquer antologia da poesia portuguesa do século XX vai encontrar os nomes Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis. Pessoa foi todos eles – e mais. Quando morreu, era principalmente conhecido como crítico, mas na realidade foi o inventor de muitos poetas portugueses, a quem deu identidades inteiras, todas elas versões de si mesmo”, recordou a BBC.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.