Rui Monteiro e Vítor Cruz são os primeiros vencedores do prémio de arte criado por um concessionário de automóveis do Porto. A BMcar premiou a dupla que atua na área do design e ilustração, motion graphics e sonoplastia, cuja obra está subordinada ao tema Liberdade.

A obra vencedora foi escolhida pelos jurados Francisco Laranjo (artista e professor catedrático da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto), Miguel Von Hafe Pérez (crítico de arte e curador) e Carlos Pires (advogado), que destacaram “a originalidade, o impacto visual e artístico, bem como a adequação à temática do concurso” do trabalho escolhido.

Exposta em seis grandes painéis digitais do espaço da BMcar na Casa da Música, no Porto, a proposta conceitos de Liberdade e prazer de condução à história da BMW, num filme que acaba por projetar a proposta de um modelo para o futuro.

Para Pedro Rodrigues, CEO da BMcar, reconhece que “a iniciativa, pensada bem antes do surgimento da pandemia, revestiu-se de importância acrescida face às circunstâncias atuais”.

Este prémio tem em conta a histórica ligação da marca BMW à arte, e “concretiza assim o objetivo de constituir um espaço verdadeiramente inovador e multidisciplinar que integra o mundo da arte, do design e do automóvel”, diz a concessionária em comunicado.

“O espaço BMcar na Casa da Música é, pois, um concessionário automóvel e simultaneamente uma galeria onde convivem várias formas de arte”. Parte desse objetivo é cumprida com este prémio, lançado no verão de 2020, dirigindo-se a criadores e a artistas de várias expressões.

“A BMcar considera que, neste momento, é particularmente relevante contribuir para a criação de oportunidades que permitam aos artistas ver o seu trabalho reconhecido — um reconhecimento que é tanto material como simbólico —, tendo em conta o contexto de grande dificuldade que o sector da cultura atravessa”, refere ainda o mesmo comunicado.

O mesmo tinha já dito Miguel Von Hafe Pérez, numa entrevista ao SAPO24. Para o curador, estas iniciativas "fazem falta exatamente porque todas as oportunidades que os artistas tenham para ver o seu trabalho reconhecido — e ser reconhecido não é só uma questão simbólica, é também material — são sempre muito importantes. E são ainda mais importantes quando são criados num contexto de grande dificuldade para o setor da cultura e para os artistas em particular".

"Todos sabemos as questões que esta pandemia levanta em termos económicos e de sobrevivência da cultura e estes pequenos sinais são muito importantes. Acredito que o setor automóvel também esteja a sofrer. Mas quando estas empresas, que apesar de tudo ainda têm essa capacidade, convocam para o seu trabalho a cultura, e neste caso os artistas, premiando-os, é um sinal muito importante da solidariedade que deve haver na sociedade", explicava, em novembro.

Apesar da pandemia, a BMcar vai alcançar um volume de negócios próximo dos 140 milhões de euros no ano 2020, ano em que investe mais de quatro milhões em vários projetos de desenvolvimento como a instalação da BMcar Casa da Música, um stand debaixo do emblemático edifício na Boavista, inaugurado no dia 6 de Março.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.