Foi preciso um mês e meio de trabalho e algumas horas extraordinárias para dar forma ao presépio construído com materiais recolhidos na natureza.

Uma tonelada de troncos de árvores, hera, musgos, juncos e areia ajudam a criar e a decorar as várias cenas representadas.

É “sempre um desafio” mesmo para quem faz o presépio desde a primeira edição, como Anita Fernandes, coordenadora técnica na Câmara Municipal do Sabugal, uma das responsáveis pela conceção do presépio. Está com o projeto desde que foi feito pela primeira vez, há 12 anos.

Ainda a retocar os últimos detalhes, manifesta “muito orgulho” no trabalho da equipa de dez pessoas que se dedicou em exclusivo à construção do presépio desde o dia 20 de outubro.

O vereador da Câmara Municipal do Sabugal, Amadeu Neves, confirma que o trabalho é feito “com gosto”. Lembra que o presépio foi uma iniciativa dos funcionários e a Câmara só tem de “aproveitar e apoiar”.

O autarca não tem dúvidas de que “o presépio é a alma dos funcionários da Câmara”.

Este ano, a autarquia decidiu trazer de novo o presépio ao centro da cidade, depois de nos últimos três anos ter sido construído junto ao Castelo do Sabugal.

Ocupa uma zona de estacionamento em frente ao Tribunal.

A escolha permitiu aumentar a área do presépio até aos 1.500 metros quadrados.

Anita Fernandes destaca que o mais difícil e que leva mais tempo é sempre a colocação dos troncos. “São de castanheiro, são centenários. Ficam no estaleiro ao ar livre, vão apodrecendo e rachando. Alguns são usados desde a primeira edição. Temos de inventar maneira de os conseguir segurar e de pôr tudo de pé”, relata.

Já a parte de colocar os cenários é de todas “a melhor e a mais gratificante”.

O “maior presépio natural” recria a cidade de Belém, onde o centro é o nascimento do Menino Jesus, mas com diversas cenas do quotidiano da época.

“Tudo o que imaginamos e aprendemos na infância sobre o presépio está aqui”, destaca Anita Fernandes.

O circuito do presépio começa com o túnel do tempo que faz o visitante recuar até ao ano zero. A viagem prossegue pelo deserto, onde está a cabana dos reis magos, a parte amuralhada da cidade, a casa do rei e a representação de várias profissões. Há um curso de água, uma ponte, vários pescadores e a pastagem com animais.

A construção dá mote ao evento “Sabugal Presépio — O Maior Presépio Natural”, que terá abertura na sexta-feira pelas 15:00.

Este ano a Câmara Municipal do Sabugal investe 200 mil euros na iniciativa.

O evento inclui um Mercadinho de Natal, uma pista de gelo ecológica, animação de rua, oficinas e passeios de burro e de charrete.

O vereador Amadeu Neves realça a importância do evento que já se tornou uma marca do concelho e assinala que o retorno do investimento é para economia local.

“Há restaurantes que já estão a receber reservas para grupos vindos em autocarros e tem havido contactos de agências de viagens”.

Sobre o regresso do presépio ao centro da cidade, o autarca justifica que houve algumas queixas dos comerciantes pelo facto de junto ao Castelo não gerar tantas dinâmicas.

“E como um dos principais objetivos era criar dinâmica na cidade, voltámos a deslocalizá-lo para um espaço também mais acessível e logisticamente mais fácil para a sua montagem”.

O vereador conta ainda que para os munícipes que se deslocam à cidade para tratar de assuntos diversos “torna-se também mais fácil visitar o presépio”.

Amadeu Neves acredita que a nova localização [frente ao Tribunal] “pode ser uma aposta ganha”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.