No final do mês passado, mudei de casa. Com essa mudança vieram também todas as burocracias inerentes à mesma, entre as quais o serviço de televisão e internet. Contudo, devido a alguns problemas técnicos, a verdade é que ainda não tenho televisão nem internet em casa.

Para conseguir escrever esta crónica, por exemplo, estou a utilizar uma pen de internet que, de forma completamente altruísta (como é seu apanágio, de resto), o nosso responsável da área de vídeo me cedeu. É por causa dele – e da internet – que hoje me consegui ligar a Portugal e ao mundo (e escrever estas palavras, de resto).

Serve isto para dizer que, mais do que nunca, a internet não é um luxo. É uma utilidade.

Sem a internet, muitos portugueses não saberiam que o número de infetados com o novo coronavírus subiu hoje de 112 para 169, que a Ministra da Saúde confirmou que Portugal entrou numa “fase de crescimento exponencial da epidemia” e que as medidas de apoio à família durante o fecho das escolas que foram anunciadas pelo Governo não são válidas para o período de férias (escolares) da Páscoa nem para aqueles que já estão em regime de teletrabalho.

Sem a internet, muitos de nós não ficariam a saber que no Canadá foram dados passos significativos em busca de melhores testes, tratamentos e uma possível vacina para o Covid-19, que há um português a tentar acabar com a escassez de ventiladores em hospitais e que há peças de teatro, concertos e exposições que pode ver ou visitar precisamente através da internet.

Contudo, é também a internet que propaga notícias falsas (ou não confirmadas) sobre os efeitos da pandemia no nosso país – quem ainda não recebeu uma mensagem no WhatsApp a dizer que um amigo dum primo dum cunhado que trabalha no SNS diz que o mundo vai acabar em 12 horas que atire a primeira pedra.

(Procura informação fiável? A DGS criou vários sites - como este, este ou este - onde concentra toda a informação e pode acompanhar a evolução da infeção em Portugal e no mundo, para além de poder também consultar as medidas de segurança recomendadas e esclarecer dúvidas sobre a doença.)

Sendo uma utilidade nestes dias em que o país está a preparar-se para o isolamento (as operadoras, de resto, vão oferecer 10 gigas de dados móveis aos seus clientes), a internet é uma janela, , que nos permite aproximar da realidade e também, se quiserem, criar uma nova normalidade: hoje comecei a ver Love Is Blind na Netflix, espero que quem simpaticamente me emprestou a pen de internet não se importe.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.