“A sentença de hoje não irá ajudar a resolver o conflito, da mesma maneira que a prisão preventiva não ajudou, porque a prisão não é a solução”. Foi desta forma que o FC Barcelona reagiu à decisão do Tribunal Supremo espanhol em condenar esta segunda-feira os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão.

O clube catalão que afirma pautar pela defesa da liberdade de expressão e pelo direito de decidir, apelou ao diálogo, assumindo que “a resolução do conflito na Catalunha deve apenas surgir de um diálogo político”.

Neste sentido, os Blaugrana, apelam “a todos os líderes políticos que conduzam um processo de diálogo e negociação para resolver este conflito”, que deverá também incluir “a libertação dos líderes cívicos e políticos condenados”.

Esta não é a primeira vez que o emblema catalão se pronuncia relativamente aos acontecimentos ligados ao movimento independentista. Há dois anos, a 20 de setembro, aquando da prisão preventiva de 13 pessoas ligadas ao movimento de independência da Catalunha, o clube recorreu às redes sociais para defender a liberdade de expressão e garantir que permanecerá ao lado do povo catalão nesta causa.

Esta posição levou a que Camp Nou, a casa do clube onde milita Lionel Messi, se tornasse palco de várias manifestações pró-independência. Durante os jogos são várias as bandeiras catalãs visíveis das bancadas e no campo jogadores como Gerard Piqué são voz politicamente ativa pela independência.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.