O russo Roman Abramovich, ex-presidente do Chelsea, terá estado envolvido na recente troca de prisioneiros entre a Ucrânia e a Rússia, escreve a imprensa inglesa desta sexta-feira.

Há muita que é conhecida a ligação do oligarca com Vladimir Putin, sendo que Abramovich também foi um dos responsáveis pela mediação dos primeiros encontros entre os governos da Ucrânia e Rússia, para a discussão de um eventual fim de guerra.

Agora terá estado envolvido também naquela que foi a maior troca de prisioneiros, na ordem dos 300, entre as duas nações. Alguns cidadãos britânicos que estavam detidos na Rússia confirmaram a presença do antigo dono do Chelsea.

"Shaun (prisioneiro) estava a conversar sobre futebol com ele há muito tempo e eu estava a conversar com o seu assistente", disse outro prisioneiro, de seu nome Harding, ao The Sun, relatando os primeiros momentos em que foi libertado, ainda em território ucraniano.

“Disseram-nos que Roman Abramovich teve um papel fundamental para nos libertarem. É extraordinário pensar que ele esteve envolvido", concluiu.

Refira-se que o multi-milionário foi um dos muitos russos que viu serem-lhe impostas sanções, devido à sua ligação a Vladimir Putin, o que obrigou à venda do Chelsea.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.