"O conjunto de acordos que a UE tem vindo a estabelecer são de uma grande importância", disse Luís Capoulas Santos, no final de um Conselho de Ministros dos 28.

Para o ministro, "as exportações agrícolas portuguesas têm vindo a crescer a um ritmo alucinante nos primeiros oito meses do ano e são responsáveis pela vitalidade de alguns setores".

Os ministros discutiram hoje um relatório apresentado pela Comissão Europeia sobre os acordos de parceria externos, segundo o qual se esperam "ganhos significativos nos setores do leite e da carne de suíno da UE, dois setores que se têm debatido com dificuldades nos últimos anos e que começam agora a dar sinais de recuperação".

O estudo, que Bruxelas sublinha ser um conjunto de cenários teóricos, "revela vulnerabilidades nos setores da carne de bovino e do arroz, tanto em termos de efeitos comerciais como de diminuição dos preços no produtor".

A dimensão do impacto nestes diversos produtos varia em função dos cenários do estudo: cenário mais "ambicioso" (plena liberalização de 98,5% de todos os produtos e uma redução pautal parcial de 50% para os restantes produtos) ou cenário mais "conservador" (plena liberalização de 97% e 25% de redução pautal para os outros).

Em relação à parceria UE - Estados Unidos (TTIP), Capoulas Santos salientou que seria "francamente favorável para a agricultura, uma vez que abriria o mercado para algumas das nossas principais exportações", como o vinho, para além de reduzir os direitos alfandegários sobre os produtos importados por Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.