De acordo com três fontes da indústria de iates, um dos bens mais valiosos de Usmanov, o iate Dilbar, de 512 pés, foi apreendido pelas autoridades alemãs na cidade de Hamburgo, no norte.

A embarcação estava nos estaleiros de Hamburgo da empresa alemã de construção naval Blohm+Voss desde o final de outubro para uma operação de reforma.

A Forbes cita que fontes informaram que o governo alemão congelou o ativo e que, provavelmente como resultado, os funcionários da Blohm+Voss que trabalhavam no iate não apareceram hoje para trabalhar.

Os representantes da Blohm+Voss e Usmanov não responderam a um pedido de comentário da parte da Forbes.

Alisher Usmanov comprou o Dilbar em 2016 por cerca de 600 milhões de dólares (537 milhões de euros, à taxa de câmbio atual) ao estaleiro alemão Lürssen, que o construiu sob medida ao longo de 52 meses.

A empresa classifica-o como "um dos iates mais complexos e desafiadores já construídos, em termos de dimensões e tecnologia".

Com 15.917 toneladas, é o maior iate a motor do mundo em tonelagem bruta e normalmente é tripulado por 96 pessoas.

Este iate tem a maior piscina alguma vez instalada num iate, além de dois helipontos, sauna, salão de beleza e academia e os interiores luxuosos contam com mais de 1.000 almofadas de sofá e podem acomodar até 24 pessoas em 12 suites.

O iate Dilbar faz parte da fortuna estimada em vários mil milhões de dólares de Usmanov, que abrange participações na gigante de minério de ferro e aço Metalloinvest e na tecnológica chinesa Xiaomi, bem como participações menores em telecomunicações, minas e media.

Um dos primeiros investidores no Facebook, juntamente com o bilionário Yuri Milner, Usmanov também detém extensos ativos imobiliários no Ocidente, desde duas propriedades no Reino Unido - Beechwood House em Londres e Sutton Place em Surrey -, avaliadas em 280 milhões de dólares (250,7 milhões de euros) - a casas de luxo em Munique, Alemanha; Lausanne, Suíça; Mónaco; e Sardenha.

Usmanov vendeu a sua posição de 30% na equipa de futebol inglês Arsenal em 2018 por quase 700 milhões de dólares (626,8 milhões de euros) em dinheiro, mas até esta semana tinha vínculos com o futebol através dos seus patrocínios USM Holdings e MegaFon no Everton.

A equipa da liga inglesa disse hoje que suspendeu os acordos à luz do ataque da Rússia à Ucrânia.

Alisher Usmanov não é o único bilionário russo com um mega-iate: a Forbes e os especialistas de avaliação de iates VesselsValue detetaram 32 deles. Apesar de ter sido alvo das sanções da União Europeia na segunda-feira, Usmanov ainda não comentou sobre as mesmas ou acerca da guerra na Ucrânia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.