O projeto da Câmara de Alandroal vai “nascer” nas Azenhas d’El Rei, perto da aldeia de Montes Juntos, e as obras devem arrancar “esta semana ou na próxima”, explicou hoje à agência Lusa o presidente do município, João Grilo.

“É um local que, já antes do enchimento do Alqueva, era procurado como zona recreativa e ao qual estavam também associados os antigos moinhos”, agora submersos, referiu, indicando que o objetivo é “manter esse ambiente” que existia do Rio Guadiana.

Segundo o autarca, o auto de consignação para a construção da praia fluvial já foi assinado com a empresa que venceu o concurso público.

“O prazo de execução da obra é de quatro meses, mas estamos a pedir à empresa” construtora “para tentar encurtar este prazo para que possamos colocar a infraestrutura à disposição das pessoas o mais cedo possível”, frisou.

Nesse sentido, sublinhou, o município alentejano ambiciona abrir a nova praia fluvial “no início de agosto”.

João Grilo precisou que o projeto envolve um investimento de 714 mil euros, dos quais 300 mil euros são financiados pelo Turismo de Portugal, na sequência da aprovação de uma candidatura da autarquia ao programa Valorizar.

A futura praia fluvial vai ter um areal com uma extensão de 148 metros, além de infraestruturas de apoio, como bar, balneários e casas de banho, ancoradouro, parque de merendas e, posteriormente, um outro para caravanas.

Esta zona tem “a vantagem de ter praticamente em frente, do lado espanhol, a praia fluvial de Cheles, que tem tido muita procura e que pode fazer com haja uma interação interessante com a movimentação de barcos de um lado para o outro”, observou.

Mais a sul, junto à aldeia de Alqueva, precisamente a que deu o nome à albufeira, no concelho de Portel, vai surgir este verão também uma praia fluvial, cujas obras já estão mais adiantadas do que as de Alandroal.

O autarca de Portel, José Manuel Grilo, disse à Lusa que espera que “no princípio da época balnear, em meados de junho, se não houver limitações relacionadas com a pandemia de covid-19, a praia inicie o seu funcionamento em pleno”.

“As obras estão praticamente concluídas. Só falta colocarem os equipamentos de apoio”, o que está previsto para o mês de maio, ficando então “pronta para poder ser feita a abertura”, adiantou o presidente do município.

Situada a cerca de um quilómetro e meio da aldeia, a futura praia fluvial envolve um investimento na ordem dos 400 mil euros.

José Manuel Grilo assinalou que o projeto conta igualmente com “um financiamento de 300 mil euros” do programa Valorizar, do Turismo de Portugal, após ter sido dada “luz verde” a uma candidatura apresentada pela câmara municipal.

Com ancoradouro e parque de merendas já anteriormente construídos, assim como um caminho alcatroado, a praia fluvial de Alqueva terá uma extensão de areal na ordem dos 100 metros, bar, balneários e casas de banho, entre outras infraestruturas.

Estas duas novas praias fluviais do Alqueva vão juntar-se às três que atualmente existem nas margens portuguesas da albufeira, situadas em Amieira, também no concelho de Portel, em Monsaraz, no concelho de Reguengos de Monsaraz, e em Mourão, no distrito de Évora.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.