“Falei hoje com o Presidente Filipe Nyusi. Abordámos a gestão da pandemia e a situação nos dois países, em particular os esforços de Moçambique para combater o terrorismo na região de Cabo Delgado. Portugal está solidário e disponível para apoiar, bilateralmente e no quadro da UE”, escreveu António Costa, numa publicação na sua conta oficial da rede social Twitter.

O primeiro-ministro português revelou ainda que espera que a próxima cimeira bilateral entre os dois países se possa realizar no segundo semestre do próximo ano, em Maputo.

“Estamos empenhados em aprofundar as nossas relações bilaterais e de cooperação. Contamos que a próxima cimeira bilateral possa ter lugar em Maputo, no segundo semestre de 2021”, escreveu, também no Twitter.

A violência armada em Cabo Delgado, norte de Moçambique, está a provocar uma crise humanitária com cerca de duas mil mortes e 500 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

A província onde avança o maior investimento privado de África, para exploração de gás natural, está desde há três anos sob ataque de insurgentes e algumas das incursões passaram a ser reivindicadas pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico desde 2019.

A última cimeira bilateral entre Portugal e Moçambique, a IV, realizou-se em 03 de julho de 2019 em Lisboa, com a presença do primeiro-ministro português e do Presidente moçambicano.

Nessa altura, foram assinados entre os dois governos 13 acordos, com destaque para a prorrogação de uma linha de crédito de 400 milhões de euros até 2020, protocolos na área da saúde e de apoio a regiões moçambicanas afetadas por ciclones.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.