A polícia federal australiana disse que o homem de 59 anos naturalizado australiano Chan Han Choi usava comunicações encriptadas para fazer as vendas e discutir o fornecimento de armas de destruição maçiça. As suas ações violam tanto as sanções das Nações Unidas como da Austrália contra a Coreia do Norte, informou a polícia.

As autoridades disseram que o homem agia para gerar negócio para Pyongyang, organizando a venda de software de computador usado para guiar mísseis balísticos,

bem como conhecimentos da Coreia do Norte para outras “entidades internacionais”.

Choi enfrenta seis acusações relacionadas com a negociação da venda de componentes de mísseis e de conhecimentos da Coreia do Norte para outras entidades internacionais, e por tentar transferir carvão da Coreia do Norte para a Indonésia e Vietname.

Choi não compareceu hoje em tribunal, em Sydney. A sua fiança foi formalmente recusada.

O comissário assistente da Polícia Federal, Neil Gaughan, disse que os governos da Indonésia e do Vietname – ou entidades nesses países – não estavam envolvidos na tentativa de transferência de carvão.

Choi é a primeira pessoa acusada sob a lei de armas de destruição maciça da Austrália e pode enfrentar uma pena de prisão de até 10 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.