Nascida em Nápoles em 18 de dezembro de 1930, Anna Mascolo viajou para Lisboa em 1940, devido à entrada da Itália na 2.ª Guerra Mundial.

Estudou na Escola Italiana (atual Instituto Italiano de Cultura de Lisboa) e formou-se em dança clássica, em Lisboa, no Conservatório Nacional, tendo sido uma das pioneiras na criação e desenvolvimento do Círculo de Iniciação Coreográfica.

Em 1953 ingressou no Gran Ballet do Marquis de Cuevas, no Teatro Scala, de Milão, onde aprendeu com reconhecidos nomes da dança de então, como Nijinska, Massine, Golovine e Drubrovska.

Em 1956, iniciou um processo de investigação único acerca das metodologias de ensino, inclusive das maiores escolas – a russa, a italiana e a francesa.

Depois de se tornar ‘prima ballerina’ do American Ballet Theatre e de se ser nomeada diretora do Grupo Experimental de Bailado, depois transformado no Ballet Gulbenkian, fundou a sua própria companhia de dança, em 1969.

Foi a responsável escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para a criação do Conselho Português de Dança.

Em 2012, a antiga bailarina recebeu o doutoramento Honoris Causa pela Universidade Técnica de Lisboa.

Foi docente na Escola Superior de Dança de Lisboa, no Conservatório Nacional e na Universidade Técnica de Lisboa (Faculdade de Motricidade Humana).

Além dos espetáculos de bailado e de ópera, trabalhou no teatro e na televisão, participou em conferências e escreveu diversos artigos sobre a área da dança.

Foi membro do Conseil International de la Danse (CIDD), organismo ligado à UNESCO, formou o Conselho Português da Dança (CPDD), do qual foi presidente, membro do Consiglio Nazionale Italiano della Danza (CNID) e do Conselho Brasileiro da Dança (CBDD).

Ministra lamenta morte de "figura central no ensino e formação"

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou a morte da coreógrafa, "figura central no ensino e na formação" da dança em Portugal.

Num comunicado, a responsável pela tutela recordou o impulso que deu à dança portuguesa: "Com Anna Mascolo escreveu-se a história da dança, desde a formação à coreografia, do ensino à defesa de uma política pública para a dança".

"A dignidade e perseverança com que sempre lutou para que a dança fosse entendida como uma disciplina de rigor, cuidado e de pleno direito são marcas distintas de um percurso que se confunde com a história contemporânea da dança em Portugal", destacou a ministra, em comunicado.

Graça Fonseca recordou que "foi no seu célebre estúdio que, a partir de 1958, o ensino da dança se sustentou na dignidade humana e artística dos alunos".

A bailarina e coreógrafa Olga Roriz lamentou hoje a morte de Anna Mascolo

Gerações de intérpretes estudaram com ela, que continuou no seu estúdio de dança a ensinar até depois de completar 80 anos, e Olga Roriz foi uma delas.

"Estive pouco tempo, mas não é preciso ter sido aluna de Anna Mascolo para sentir a sua perda. Ela dedicou toda a vida à dança, sobretudo ao ensino e de alta qualidade", salientou a criadora de peças como "Electra", "A Cidade", ou "A Sagração da Primavera".

Sobre a personalidade de Anna Mascolo, recordou: "Era uma mulher muito culta e reivindicativa. Nunca nada estava suficientemente bem para ela. Foi algo que também nos deixou, essa vontade de nunca desistir de lutar, de uma forma muito séria. Ela foi um exemplo".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.