A admissão de Biden surge no momento em que os Estados Unidos adotaram uma série de sanções económicas contra a Rússia, em retaliação pela invasão da Ucrânia, que incluem a interdição do espaço aéreo dos EUA e pesadas medidas contra o banco central russo.

A medida contra a compra de hidrocarbonetos – o recurso mais precioso da economia russa — tem vindo a ser exigida nos Estados Unidos, em particular no setor político próximo do Partido Republicano.

Se vier a ser aplicada, terá um forte simbolismo e sem grandes danos para os Estados Unidos, que nas últimas décadas se tornaram um grande produtor de petróleo e quase garantiram a sua autossuficiência energética, ao contrário da Europa, que está muito dependente do gás russo.

De acordo com a Federação Americana de Fabricantes de Combustíveis e Petroquímicos, em 2021 os Estados Unidos importaram uma média de 209.000 barris por dia de petróleo russo e 500.000 barris por dia de outros produtos petrolíferos, ou seja, 3% do total das importações de petróleo bruto nos EUA.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.