Biden, de 78 anos, receberá "uma vacina de reforço contra a covid-19", de acordo com as diretrizes sanitárias americanas.

O presidente também deve falar sobre o combate à pandemia num evento esta tarde, segundo o Executivo.

Biden recebeu a sua primeira dose da vacina contra a covid-19 da farmacêutica Pfizer a 21 de dezembro passado e uma segunda inoculação a 11 de janeiro, quando ainda era presidente eleito. Em ambos os casos, tomou a vacina na frente das câmaras de televisão, para incentivar as pessoas a serem vacinadas.

As autoridades de Saúde dos Estados Unidos recomendaram a terceira dose da vacina da Pfizer para três categorias de pessoas: maiores de 65 anos, pessoas de 18 a 64 anos com alguma condição médica subjacente, como diabetes ou obesidade, e aquelas especialmente expostas ao vírus devido ao seu trabalho ou ao lugar onde vivem.

Esta última categoria, que é muito ampla, inclui os professores, funcionários de supermercados, pessoas que trabalham no setor da saúde, presos e sem-abrigo.

Aproximadamente 60 milhões de pessoas nos Estados Unidos são aptas para uma dose de reforço da vacina da Pfizer, disse Biden na semana passada, afirmando também que as pessoas que receberam as vacinas das farmacêuticas Moderna ou Johnson & Johnson poderiam receber o reforço assim que os estudos forem concluídos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.