A informação foi dada à agência Lusa pelo seu advogado, Ricardo Sá Fernandes.

Carlos Cruz, que completou dois terços da pena de seis anos de prisão a que foi condenado, no âmbito do processo Casa Pia, venceu um recurso apresentado na Relação de Lisboa, contra a decisão do Tribunal de Execução de Penas (TEP), que, em março, recusou o pedido de liberdade condicional.

O ex-apresentador de televisão tem estado a cumprir a pena no Estabelecimento Prisional da Carregueira, no concelho de Sintra, e já teve direito a duas saídas precárias, em dezembro de 2015 e no passado mês de março.

No processo Casa Pia, relacionado com abusos sexuais de alunos e ex-alunos da instituição, foram ainda condenados o antigo motorista casapiano Carlos Silvino (15 anos de prisão), o médico Ferreira Dinis (sete anos), o ex-diplomata Jorge Ritto (seis anos e oito meses) e o antigo provedor-adjunto da instituição Manuel Abrantes (cinco anos e nove meses).

Em março, o TEP recusou a liberdade condicional ao ex-apresentador de televisão, com a fundamentação de que Carlos Cruz não demonstrara arrependimento, não assumindo assim a culpa, pelos crimes de abuso sexual de menores.

A decisão do TEP teve em conta pareceres da equipa técnica de reinserção social e do Ministério Público, que foram desfavoráveis à concessão da liberdade condicional a Carlos Cruz.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.