Numa pergunta enviada ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, o CDS recorda uma notícia do Jornal de Leiria, do dia 28, em que aquele semanário local refere que estava definitivamente perdido o financiamento do projeto da ETES e que os produtores teriam de encontrar soluções individuais, sob pena de terem de cessar atividade.

"Esta obra é apontada por todos como sendo essencial para a resolução da poluição da bacia hidrográfica do rio Lis", sublinha o partido, realçando que, apesar de ser um problema ambiental, "ele não deixa de ser consequência de uma atividade agrícola".

No entanto, "não obstante a autoridade de gestão do PDR [Programa de Desenvolvimento Rural] 2020 ser tutelada pelo Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Florestas, as várias notícias que têm vindo a público [sobre a ETES] referem sempre declarações do Ministério do Ambiente, não se conhecendo a posição do senhor ministro da Agricultura sobre este assunto", frisa o CDS.

"Além da participação na comissão de acompanhamento, que diligências tomou o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural no sentido de promover a efetiva realização do projeto", questionam os deputados, perguntando também se a tutela tem "colocado o empenho necessário, nomeadamente no apoio na procura de uma solução de financiamento que garanta a execução do projeto".

O CDS questiona ainda como é que o ministro encara "o futuro da produção da pecuária" em Leiria, a confirmar-se o não financiamento da ETES, recordando que esta região é responsável por cerca de 15% da produção suinícola nacional e que representa, "direta e indiretamente, cerca de 7.000 postos trabalho".

A 30 de novembro, o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins criticou a morosidade do projeto da ETES que, em 2014, garantiu apoio de 9,1 milhões de euros de fundos nacionais e comunitários, mas que sofreu sucessivos adiamentos por falta de modelo de financiamento da parte dos produtores.

"Temos vindo a manter à tona da água um projeto que já tinha financiamento assegurado. Temos andado com ele ao colo, mas está a terminar o limite de tempo", alertou o secretário de Estado, admitindo que há "autoridades europeias a pedir contas ao país".

Na altura, o secretário de Estado avançou que os ministérios do Ambiente e da Agricultura estavam "muito esperançados" de que a candidatura à construção da ETES da região de Leiria viesse a ocorrer, cujo prazo termina no final deste ano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.