Numa parceria entre o Centro de Ensino Técnico e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a iniciativa capacitou os refugiados para atuarem em áreas de estética como manicure, pedicure e designer de sobrancelhas, na instalação e manutenção de refrigeração doméstica, como auxiliar administrativo e ainda nas áreas de auxiliar de cozinha e confeitaria.

Com o certificado em mãos, os profissionais serão indicados para vagas disponibilizadas por empresários locais e, dessa forma, possibilitar a integração no mercado de trabalho.

Os venezuelanos em causa deixaram o seu país de origem à procura de melhores condições de vida no Brasil, já que a Venezuela enfrenta uma grave crise social, política e de abastecimento de produtos.

Desde 2017 até agosto deste ano, mais de 8,8 mil venezuelanos enviaram pedidos de refúgio para a cidade de Manaus, divulgou o Governo brasileiro em comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.