Segundo o jornal, quando, no dia 30 de janeiro, o elevador parou entre os andares 10 e 11, os técnicos que o foram reparar gritaram para saber se havia alguém dentro do elevador, mas face à ausência de resposta decidiram cortar a eletricidade.

Posteriormente entraram de férias, coincidindo com o Ano Novo Chinês, e não voltaram ao edifício até o dia 1 de março.

A polícia que investiga o caso não encontrou provas de violência e descarta homicídio, indicou o jornal. Por sua vez, o governo atribui o erro à companhia de manutenção por não comprovar se havia alguém no interior do elevador antes de cortar a eletricidade.

Os acidentes de segurança são comuns na China, onde as normas são pouco rígidas e em muitos casos não são cumpridas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.