A população de Kherson recebeu, esta sexta-feira, as forças armadas ucranianas em clima de festa.

A cidade era a única capital regional conquistada pela Rússia à Ucrânia, em nove meses de guerra. A sua retoma constitui para a Ucrânia uma enorme vitória. "Os ucranianos estão, finalmente, em casa", diz o canal oficial do governo ucraniano, no Telegram. "Hoje é um dia histórico. Estamos de volta a Kherson", declarou Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia.

"A partir de agora, as nossas defesas estão nas proximidades e as unidades especiais já entraram na cidade", afirma Zelensky.

"O povo de Kherson estava à espera... Nunca desistiram da Ucrânia. A esperança para a Ucrânia é sempre justificada (...) e mesmo quando a cidade não está completamente limpa da presença do inimigo, o próprio povo de Kherson já está a remover símbolos russos das ruas e edifícios e quaisquer vestígios da estadia dos ocupantes em Kherson", disse o chefe de Estado na mensagem divulgada através da sua conta oficial do Telegram.

As imagens partilhadas nas redes sociais, mostram os cidadãos de Kherson a celebrar a chegada dos soldados ucranianos e a retirar símbolos e bandeiras russas de locais públicos.

Esta madrugada, cerca de 30 mil soldados russos retiraram de Kherson, numa ação anunciada pelo ministério da Defesa russo.

“No total, mais de 30.000 militares russos e quase 5.000 unidades de armamento e veículos militares foram retirados” da margem ocidental do rio Dniepre, disse o ministério, citado pelas agências francesa AFP e espanhola EFE.

Na retirada para a margem esquerda do rio Dniepre, as tropas russas destruíram as pontes por onde passaram. Imagens de satélite, entretanto divulgadas, mostram a destruição da ponte da barragem de Kakhovskaya, em Kherson.

Kakhovskaya dam in Kherson
satellite images of bridges blown up by Russians in Kherson region. créditos: Maxar

Apesar de ter perdido Kherson, Moscovo continua a dizer que toda a região faz parte do território russo como resultado da anexação - juntamente com três outras provinciais ucranianas - oficializada por Putin, há cerca de dois meses.

Para Kiev, a reconquista de Kherson trata-se de uma "vitória extremamente importante" e mostra que "não importa o que a Rússia faça, a Ucrânia vencerá" a guerra, disse o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, citado pela AFP.

Na capital ucraniana também se festeja a chegada das tropas ucranianas à cidade de Kherson. Envergando as cores da Ucrânia, a população celebra, na Praça Maidan, a libertação daquela região.

(notícia atualizada às 23h50)

*com AFP e Lusa

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.