Segundo noticia o The Guardian, trata-se de um ictiossauro, com cerca de 180 milhões de anos, e apresenta um esqueleto de cerca de 10 metros de comprimento e um crânio com cerca de uma tonelada. Este é o maior e mais completo fóssil do género alguma vez encontrado no Reino Unido. Joe Davis, do Leicestershire and Rutland Wildlife Trust, descobriu-o, ao acaso, durante uma drenagem de rotina no reservatório de Rutland Water, em fevereiro de 2021.

Os primeiros ictiossauros, que são chamados dragões-marinhos porque tendem a ter dentes e olhos muito grandes, foram descobertos pela caçadora de fósseis e paleontóloga Mary Anning, no início do século XIX.

Os ictiossauros, que eram répteis marinhos, apareceram pela primeira vez há cerca de 250 milhões de anos e foram extintos há 90 milhões de anos. O seu tamanho variava entre um e mais de 25 metros de comprimento e assemelhavam-se aos golfinhos.

"Apesar dos muitos fósseis de ictiossauros encontrados no Reino Unido, é notável pensar que o ictiossauro Rutland é o maior esqueleto alguma vez encontrado no Reino Unido. É uma descoberta verdadeiramente sem precedentes e uma das maiores descobertas na história paleontológica britânica", afirmou Dean Lomax, um paleontólogo que estuda a espécie.

Mark Evans, do British Antarctic Survey, disse que apenas na primeira observação do esqueleto percebeu que se tratava do maior já descoberto na região, no entanto, somente depois da primeira escavação foi possível ver que ele “estava praticamente completo até a ponta da cauda”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.