O Plano foi desenvolvido no âmbito da Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, com responsabilidade técnica do Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano (CEDRU) e com a parceria do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT) da Universidade de Lisboa e o apoio do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR).

O documento “pretende assumir-se como um guia da ação do Município, tão preventiva quanto possível, nesta sensível área da emergência climática em que vivemos e que impõe uma necessidade urgente de intervenção”, refere a Câmara numa nota de imprensa.

A autarquia justifica a elaboração do Plano, iniciada em 2015, com as vulnerabilidades climáticas do território municipal, nomeadamente relacionadas com a subida do nível médio das águas do mar e com o aumento de eventos extremos de precipitação e vento forte, apostando na prevenção.

“O executivo considera necessário aprofundar o trabalho desenvolvido na Estratégia de Adaptação Local e do qual resultou a definição de elaboração do presente Plano, que consubstancia uma estratégia que procura dar resposta atempada e adequada às principais vulnerabilidades climáticas atuais e futuras”, explica no texto.

Visando o envolvimento da sociedade civil, a Câmara Municipal de Ílhavo, em conjunto com o Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano (CEDRU) que elaborou o Plano Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas de Ílhavo, irá promover uma sessão pública de apresentação daquele documento estratégico, no dia 12, pelas 09:30, na Fábrica das Ideias na Gafanha da Nazaré.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.