José Pacheco, que viabilizou o orçamento regional para 2022 do Governo de coligação PSD/CDS/PPM depois de André Ventura lhe ter pedido para romper o acordo parlamentar na região, é a única alteração à lista para a direção do presidente reeleito do Chega.

Como vice-presidentes mantêm-se António Tânger Correa, Gabriel Mithá Ribeiro, Marta Trindade e Pedro Frazão.

Na liderança do partido está André Ventura, que no sábado viu aprovada uma moção para alteração aos estatutos do partido que lhe conferem autonomia para “indicar os candidatos em qualquer ato eleitoral” em que o partido participe, além de poder dissolver os órgãos nacionais.

A lista da direção nacional mantém os vogais Diogo Pacheco de Amorim, Rui Paulo Sousa, Ricardo Regalla Dias, Patrícia Carvalho, Rita Matias e Nuno Pinto Afonso.

A mesa do Conselho Nacional é toda renovada com Jorge Valsassina Galveias para a presidência e Felicidade de Alcântara na vice-presidência. Filipa Lourinho, João Manuel Monteiro e Bernardo Pessanha o estão no secretariado.

O IV congresso do Chega decorre desde sexta-feira na Expocenter, em Viseu, e deverá terminar na tarde de hoje com a apresentação dos resultados do escrutínio que decorre até às 13:00 e o discurso de encerramento do líder do partido, André Ventura.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.