Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, Luís Nobre, adiantou que “o concurso público das empreitadas será lançado até final deste ano”.

O preço base do procedimento ainda não está fechado, sendo que o investimento previsto para a construção da nova ponte rondará os 22 e os 23 milhões de euros e para o acesso rodoviário ao Vale do Neiva entre os nove e os 10 milhões de euros.

O autarca socialista estimou que, no total, o investimento nas duas operações ronde os “32 e os 33 milhões de euros”.

Luís Nobre adiantou que se o procedimento decorrer com normalidade as operações começarão “até abril de 2024”.

O prazo de execução das duas empreitadas, financiadas pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), é de 18 meses.

Em causa está a nova travessia sobre o rio Lima entre a Estrada Nacional (EN) 203 – Deocriste e a EN 202 – Nogueira, bem como o acesso rodoviário da zona industrial do Vale do Neiva ao nó da autoestrada A28.

Em janeiro de 2022, a Câmara de Viana do Castelo informou ter garantido um financiamento de 23,4 milhões de euros para a construção de uma nova ponte e de um acesso rodoviário ao Vale do Neiva.

A “infraestrutura vai iniciar-se na EN 202, junto ao campo de futebol da Torre, com a reformulação da interceção giratória de acesso à área de localização empresarial de Nogueira e à autoestrada A27, no sentido Viana do Castelo - Ponte de Lima”.

A “travessia desenvolve-se na maior parte do percurso em tabuleiro de betão pré-esforçado, numa estrutura que permite minimizar os impactos na galeria ripícola e habitats incluídos na Rede Natura 2000”.

A via termina na interceção giratória da EN 203, zona industrial de Deocriste, junto à empresa de produção de papel DS Smith (antiga Portucel), permitindo desviar o tráfego de viaturas pesadas da estrada nacional que tem sofrido com o aumento pela crescente atividade industrial deste complexo.

A “nova via irá dotar de segurança rodoviária e fomentar a competitividade empresarial das cinco freguesias, que representam 30% do tecido empresarial do concelho” e permitirá uma “ligação rodoviária rápida e segura que fomentará o desenvolvimento socioeconómico da região e acrescenta o seu contributo no panorama nacional, melhorando também os indicadores ambientais”.

O “acesso rodoviário do Vale do Neiva corresponde a um investimento de oito milhões de euros para a construção de uma nova ligação entre o Vale do Neiva e a A28, com uma extensão de 5,2 quilómetros, tendo as duas faixas de rodagem uma largura de sete metros”.

A rodovia “terá início no nó da A28, junto à rotunda da EN 13, na zona industrial do Neiva, sendo que o investimento em terraplanagens, drenagens, pavimentos, redes e iluminação, equipamentos de sinalização e segurança, ascende a 5,5 milhões de euros, correspondendo as expropriações a um total de 2,5 milhões de euros”.

A “nova via rodoviária pretende eliminar pontos negros e a circulação condicionada para veículos pesados de logística no interior da freguesia de Alvarães, melhorando a segurança rodoviária em todo o Vale do Neiva”.

Nas “freguesias de Vila de Punhe e Barroselas, os novos troços rodoviários propostos, para além de uma ligação mais fluida e segura à A28, vão melhorar, através dos seus nós de ligação, a mobilidade interna intrafreguesias, ligando estradas nacionais a vias municipais através de um novo corredor rodoviário”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.