“É com muita satisfação que pudemos verificar que as nossas Forças Armadas, que as nossas forças e serviços de segurança estão perfeitamente preparados para a operação”, afirmou António Costa, em declarações aos jornalistas, à margem da cerimónia comemorativa do 9º aniversário da Unidade Especial de Polícia, em Belas, Sintra.

O primeiro-ministro disse ter participado na quinta-feira, com a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, com a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e com o ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, numa reunião para avaliar o dispositivo que foi preparado para garantir a segurança durante a visita do Papa Francisco a Fátima.

António Costa destacou que a operação em causa “é muito prolongada” já que não se limita aos dias da visita do Papa – 12 e 13 de maio – e começa “desde já nas ações de proteção e segurança de todos os peregrinos que ao longo dos dias vão percorrer os caminhos até Fátima”.

“E haverá o momento especial em que receberemos o Papa Francisco e que requer naturalmente especiais cuidados do ponto de vista da segurança”, disse.

Segundo o primeiro-ministro, existem “boas condições para receber o Papa Francisco e para que toos os que pretendam fazer possam celebrar o centenário com toda a tranquilidade e com toda a segurança”.

Questionado pelos jornalistas, António Costa acrescentou ainda que estão assegurados “os meios disponíveis e necessários” para que a operação decorra com toda a tranquilidade.

Francisco visita o Santuário de Fátima, a 12 e 13 de maio, para canonizar os pastorinhos Francisco e Jacinta, no centenário das “aparições”, em 1917.

O Papa tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no dia 13.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.