Em comunicado, a Comissão Municipal de Proteção Civil de Matosinhos (CMPCM) confirma que está “a trabalhar na mobilização de utentes do Lar do Comércio para instituições externas”. O anúncio surge depois de nesta terça-feira terem sido conhecidos os resultados de 160 análises aos utentes, que descobriram 13 casos positivos.

Estes casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) juntam-se aos 18 utentes hospitalizados. O Lar do Comércio conta já com 22 mortes.

“Esta decisão [de retirar os utentes do lar], sempre considerada como último recurso, vem na sequência de dificuldades que o Lar do Comércio continua a apresentar nos recursos humanos necessários para garantir aos utentes, positivos ou negativos, cuidados básicos”, diz a autarquia de Matosinhos, em comunicado.

Ontem, o lar testou os 160 utentes residentes, dos quais 13 testaram positivo, 141 negativos e seis inconclusivos, revelou à Lusa fonte da direção. Os seis idosos com resultados inconclusivos vão repetir os exames, adiantou a mesma fonte.

Além destes, a instituição tem 18 utentes hospitalizados e nove com familiares, referiu. A fonte avançou que, depois dos utentes, os funcionários vão ser testados “nos próximos dias”.

Também à Lusa, esta terça-feira, sobre a forma como o Lar do Comércio ia proceder à separação dos utentes infetados dos não infetados, a fonte da direção explicou ter criado na creche, a 100 metros do edifício principal, uma área covid-19, que estava equipada e pronta a ser usada.

A instituição aguardava entretanto indicações da câmara municipal de Matosinhos e das autoridades de saúde, que estão a colaborar com a mesma, para decidir como vai agir.

A autarquia anuncia, então, que esta quinta-feira arranca a “mobilização externa de 48 utentes dependentes, covid-19 negativos”, para o Centro de Neurointervenção da Cruz Vermelha, em Vila Nova de Gaia, e para o Hospital Militar do Porto. Ficarão lá no máximo oito dias.

Onze casos positivos no lar vão para o Centro de Apoio Comunitário de Matosinhos “até recuperarem da infeção”, diz a câmara.

A Comissão Municipal de Proteção Civil de Matosinhos considera que as 78 camas disponibilizadas pela autarquia para as instalações do infantário “podem acomodar temporariamente 70 utentes autónomos que testaram negativo para covid-19”.

Os restantes utentes não infetados devem ficar nos pisos inferiores do lar, onde atualmente se encontram utentes positivos. Para isso, a câmara vai desinfetar o local, numa missão articulada pela Proteção Civil com o Exército.

“A CMPCM entende que, imediatamente após estas mobilizações e no período máximo de 8 dias, o Lar do Comércio tem de garantir a reorganização de serviços e procedimentos e garantir a contratação de recursos humanos adequados a receber e cuidar da totalidade dos seus utentes”.

A Comissão admite a possibilitar de “mobilizar” mais utentes, mantendo-se atenta à situação.

Portugal regista hoje 1.175 mortes relacionadas com a covid-19, mais 12 do que na terça-feira, e 28.132 infetados, mais 219, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde.

Em comparação com os dados de terça-feira, em que se registavam 1.163 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1,03%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (28.132), os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) revelam que há mais 219 casos do que na terça-feira (27.913), representando uma subida de 0,8%.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (667), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (257), do Centro (221), do Algarve (14), dos Açores (15) e do Alentejo, que regista um caso, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de terça-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

(Artigo corrigido às 16:58 — retifica a informação para esclarecer que os 13 casos se tratam do total atual de infeções no lar e não de novos casos, ao contrário do que se lia nu,a versão anterior deste texto)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.