As reuniões do comité decorrem normalmente de três em três meses, mas “desta vez o diretor-geral convocou os membros duas semanas antes do previsto para analisar assuntos que necessitam de um debate urgente. Trata-se das variantes recentes e do uso de certificados de vacinação e de testes para viagens internacionais”, explica um comunicado da OMS divulgado hoje em Genebra.

O comité de peritos, presidido pelo francês Didier Houssin, vai reunir-se na quinta-feira, 14 de janeiro, e as recomendações para a OMS e países membros serão publicadas após a reunião, refere o comunicado.

As variantes do coronavírus identificadas inicialmente no Reino Unido e na África do Sul são particularmente contagiosas e circulam agora por dezenas de países, com uma nova vaga de contaminações e confinamentos, enquanto decorrem as campanhas de vacinação.

Segundo a OMS, o número de países e territórios onde já foi detetada a variante britânica ascende a 50 e a variante identificada na África do Sul surgiu em 20, mas a organização considera que esta avaliação pode estar subestimada.

Uma terceira mutação, originária da Amazónia brasileira e cuja descoberta foi anunciada no domingo pelo Japão, está atualmente a ser analisada e pode impactar a resposta imunitária, segundo a OMS, que fala no seu boletim semanal numa “variante preocupante”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.