O país tem ainda mais 168 mortos devido à doença notificados nos últimos três dias, aumentando o total de óbitos para 30.663.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma espanhola mais atingida, com quase 200.000 dos casos positivos registados até hoje e mais de 9.000 mortes.

Por outro lado, deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.052 pessoas, das quais 308 em Madrid, 124 na Catalunha e 116 na Andaluzia.

Estão hospitalizados em todo o país 11.031 pessoas com o novo coronavírus, das quais 1.417 estão em unidades de cuidados intensivos.

A Espanha é um dos países do mundo mais atingido pelo novo coronavírus e a sua capital, Madrid, é neste momento um dos epicentros da doença, com uma taxa de infeção de mais de 680 pessoas por 100.000 habitantes em duas semanas.

O Governo regional de Madrid decidiu restringir, a partir de hoje, a liberdade de movimentos a mais de 850.000 pessoas, 13% dos seus habitantes, de zonas da cidade onde houve um grande aumento dos contágios.

A população afetada poderá, no entanto, sair do seu bairro para ir trabalhar, ao médico ou levar os filhos à escola.

O encerramento de jardins e parques é outra das medidas que entraram em vigor em 37 áreas sanitárias da capital espanhola, uma cidade que tem cerca de 6,6 milhões de habitantes num total nacional de 47 milhões.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 961 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.920 em Portugal.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.788 mortos, mais de 398 mil casos), seguindo-se Itália (35.724 mortos, mais de 299 mil casos), França (31.585 mortos, mais de 453 mil casos) e Espanha (30.663 mortos, mais de 670 mil casos).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.