Denominado CHUA-Arena, o espaço abriu após a ativação da fase 4 do plano de contingência do centro hospitalar e vai funcionar “como serviço de retaguarda, mantendo a capacidade de resposta aos doentes que procuram as estruturas de saúde e aliviando a pressão sobre as unidades hospitalares públicas”, lê-se na nota.

A estrutura “apenas recebe doentes que lhe sejam encaminhados” pelas unidades do CHUA e com critérios específicos definidos pelas equipas clínicas.

A gestão clínica e o tratamento dos doentes ficam sob a responsabilidade das equipas médicas, de enfermagem, técnicas e auxiliares do CHUA, estando simultaneamente previsto um reforço de contratação de recursos humanos.

Segundo a nota, a estrutura de apoio e de retaguarda aos hospitais foi implementada, estruturada e apetrechada técnica e logisticamente “em 24 horas, graças ao empenho e trabalho conjunto” entre as equipas do CHUA, da Câmara Municipal de Portimão e da Autoridade de Proteção Civil, contando ainda com o apoio da Administração Regional de Saúde do Algarve.

Na passada sexta-feira, o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, Paulo Morgado, informou que o hospital de Faro estava a passar à fase 3 do seu plano de contingência, com a subida de 92 para 109 camas de internamento em enfermaria destinadas a pacientes com covid-19.

Durante a conferência de imprensa quinzenal que aborda a situação epidemiológica de covid-19 na região, o responsável adiantou que na segunda-feira será ativada uma estrutura de apoio de retaguarda numa unidade hoteleira de Alvor, no concelho de Portimão, com capacidade para cerca de mil pessoas, destinada a descongestionar o internamento hospitalar e a acolher idosos que tenham de estar em isolamento.

Na mesma ocasião, a delegada de Saúde regional, Ana Cristina Guerreiro, sublinhou que a subida do número de casos na região, à semelhança do que acontece em todo o país, se deveu "à reunião de famílias oriundas de vários locais”, contrariando as recomendações.

"Sabemos pelos inquéritos epidemiológicos o que aconteceu. Um número elevado de pessoas, e com origens diferentes, provocou esse aumento rápido", referiu, considerando que é preciso esperar pela evolução diária para perceber se a situação se agravará.

Em relação à vacinação, Paulo Morgado confirmou que já foram vacinados 2.200 profissionais de saúde dos hospitais e centros de saúde da região.

Esse processo continuará na próxima semana, em paralelo com a vacinação nos lares de idosos, que arrancará previsivelmente na terça-feira nos dois concelhos com maior taxa de incidência, Tavira e Albufeira.

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve tem como área de abrangência toda a região do Algarve (16 concelhos), com uma população de cerca de 450.000 habitantes, que pode triplicar na época alta do turismo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.