De acordo com a Nota da Presidência da República, "atendendo à situação de alerta nacional em que o País vive, e na expetativa de subsequente ratificação parlamentar, o Presidente da República promulgou hoje o diploma do Governo que aprova as medidas extraordinárias e de carácter urgente de resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus".

Marcelo indica ainda que a sua próxima reunião com António Costa ocorrerá já no Palácio de Belém, já que o Presidente da República terá assim cumprido o tempo de quarentena de 15 dias "desde a sessão com estudantes de Felgueiras no passado dia 3".

O chefe de estado anuncia também que a sua decisão quanto ao Orçamento do Estado para 2020 só acontecerá para a semana. "Tendo o Presidente da República comunicado que tencionava tomar uma decisão sobre o Orçamento do Estado para 2020 até ao fim da presente semana, atendendo à necessidade de analisar mais detidamente o contexto que rodeará a sua execução, entendeu dever adiar a sua decisão para a próxima semana", lê-se na nota.

Na mesma nota, comunica-se que o Presidente da República “manteve contactos telefónicos com diversos chefes de Estado, com destaque para o Rei Filipe VI de Espanha e o Presidente italiano Sergio Mattarella”.

O Presidente está desde 8 de março, de quarentena, na sua casa, depois de ter estado no dia 3 no Palácio de Belém, em Lisboa, com uma turma de uma escola de Felgueiras (Porto), que foi encerrada devido ao internamento de um aluno - que não esteve em Belém - devido à doença.

Marcelo Rebelo de Sousa fez o teste ao coronavírus, na segunda-feira, apesar de não ter sintomas, e o resultado foi negativo.

O Governo decidiu um conjunto de medidas devido à pandemia Covid-19, entre as quais a suspensão de aulas presenciais nas escolas de todos os graus de ensino, já a partir de segunda-feira, anunciou o primeiro-ministro, numa declaração ao país.

O Governo decidiu também declarar o estado de alerta em todo o país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Esta quinta-feira, 12 de março, o Conselho de Ministros aprovou ainda um conjunto de "medidas extraordinárias e de caráter urgente" de resposta à situação epidemiológica do novo Coronavírus. Uma lista que se reparte essencialmente por quatro áreas: apoio às famílias, às empresas, reforço do Sistema Nacional de Saúde e medidas na educação.

A restrição de funcionamento de discotecas e similares, a proibição do desembarque de passageiros de navios de cruzeiro, exceto dos residentes em Portugal, a suspensão de visitas a lares em todo o território nacional e o estabelecimento de limitações de frequência nos centros comerciais e supermercados para assegurar possibilidade de manter distância de segurança foram outras das medidas aprovadas.

Já tinham sido tomadas outras medidas em Portugal para conter a pandemia, como a suspensão das ligações aéreas com a Itália.

Ponto de situação

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus que causa a doença Covid-19 subiu para 112 esta sexta-feira, mais 34 do que os contabilizados no dia anterior, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela DGS, há ainda 1308 casos suspeitos, sendo que 172 aguardam resultado laboratorial. Existem também 5674 contactos em vigilância pelas Autoridades de Saúde.

O número cadeias de transmissão ativas aumentou de seis para onze, segundo a nota enviada hoje.

A região Norte continua a ser a que regista o maior número de casos confirmados (53), seguida da Grande Lisboa (46) e das regiões Centro e do Algarve, ambas com seis casos confirmados da doença. No estrangeiro mantém-se apenas um caso confirmado.

Dos casos confirmados, 33 deles são importados de Espanha (9), França (5), Itália (15), Suíça (3), Alemanha/Áustria (1). Apenas 107 pessoas estão internadas em unidades hospitalares, segundo o boletim, que não acrescenta mais detalhes quanto a esta matéria. Pelo menos um doente curado já teve alta hospitalar, foi ontem confirmado.

Relativamente aos sintomas, maioria das pessoas infetadas por Covid-19 apresenta tosse (65%). Outros sintomas relatados são febre (48%), cefaleia (39%), dores musculares (37%), fraqueza generalizada (24%) e dificuldade respiratória (12%). A faixa etária entre os 40-49 é a que regista mais casos, 28 total. Segue-se a população com idades entre os 30 e 39, com 24 casos confirmados. Dos casos confirmados 68 são do sexo masculino.

O surto de Covid-19 está a motivar, desde a semana passada, o encerramento ou o condicionamento do acesso a serviços públicos, escolas, hospitais e outros equipamentos em Portugal. Conferências, provas desportivas ou eventos culturais também estão a ser afectados. A lista completa pode ser consultada aqui.

Onde posso consultar informação oficial?

A DGS criou para o efeito vários site onde concentra toda a informação atualizada e onde pode acompanhar a evolução da infeção em Portugal e no mundo. Pode ainda consultar as medidas de segurança recomendadas e esclarecer dúvidas sobre a doença.

Quem suspeitar estar infetado ou tiver sintomas em Portugal - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deve contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24 para ser direcionado pelos profissionais de saúde. Não se dirija aos serviços de urgência, pede a Direção-geral de Saúde.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro de 2019, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 128 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios. Quase 70 mil dos infectados já recuperou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.