Numa nota de imprensa, que surge "na sequência de vários contactos da comunicação social junto da CPCJ de Ourém, no sentido de recolher informações sobre a criança desaparecida", atualmente aos cuidados da família, o presidente do comissão e também do município, Paulo Fonseca, informa que "a criança nunca teve processo de promoção e proteção nesta CPCJ" e aguarda o "trabalho das entidades competentes (de primeira linha)".

"Na eventual necessidade de proteção, a CPCJ intervirá nos termos das suas competências", refere ainda.

O menino de dois anos estava desaparecido desde a manhã de segunda-feira e veio a ser localizado - "bem de saúde", pelas 10:00 de terça-feira, por militares da GNR, a cerca de dois quilómetros da casa onde vivia e de onde desapareceu.

A Polícia Judiciária de Leiria continua a investigar o desaparecimento, mantendo em aberto a possibilidade de a criança se ter afastado sozinha e de se ter perdido ou de ter sido colocada no local onde foi encontrada por alguém.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.