"O maior crescimento verifica-se nas zonas fronteiriças, especialmente em Nariño, Putumayo e Norte de Santander, os territórios que tiveram também maior número de hectares no relatório de 2015", lê-se no documento apresentado hoje em Bogotá, a capital da Colômbia.

Em relação à produção potencial de cocaína, o estudo calcula um aumento de 34%, das 646 toneladas em 2015, para as 866 toneladas em 2016.

A ONU também sublinhou que o preço por quilo de folhas de coca aumentou 43% relativamente às estimativas de 2013, "o ano em que a tendência começou a ser de aumento da área plantada".

Apesar de dar conta de um aumento do cultivo de coca na Colômbia, o relatório da UNODC também aponta que cresceram em 49% as apreensões das autoridades, já que, em 2015, foram confiscadas 253 toneladas de cocaína e, em 2016, esse volume subiu para as 378 toneladas.

Esta agência especializada das Nações Unidas considera que, "ainda que os dados indiquem uma situação preocupante, o cenário na Colômbia mostra-se propício para uma solução sustentada a partir da transição de uma estratégia centrada no cultivo para uma estratégia centrada na transformação dos territórios e nas comunidades".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.