Robert McCabe e Aaron Torgalski, que se entregaram hoje de manhã, declararam-se inocentes da agressão sujeita a uma pena de segundo grau, tendo sido libertados sem fiança.

O procurador John Flynn disse hoje numa entrevista que os policias “ultrapassaram uma linha”.

Na sexta-feira, os policias foram suspensos, sem direito a salário, depois de uma equipa de televisão ter filmado o confronto do dia anterior, quase no final dos protestos, relata a Associated Press.

O filme mostra um homem identificado como sendo Martin Gugino a aproximar-se de uma fila de polícias com capacetes e bastões nas mãos, enquanto dispersavam os manifestantes na praça Niágara.

Dois policias empurraram Gugino para trás e ele bateu com a cabeça na calçada, vendo-se o sangue a ser derramado, enquanto outros policias passam pelo homem que ficou inanimado no chão.

Um polícia inclinou-se para ver o ferimento na cabeça do homem, mas outro disse-lhe continuar a andar.

O vídeo provocou a indignação nas redes sociais.

“Pelo que vi no vídeo, acho que houve responsabilidade criminal”, disse hoje o governador Andrew Cuomo, em conferência de imprensa.

“O que vimos foi horrível e repugnante e acredito ser ilegal”, afirmou ainda o governador, considerando que o que a procuradoria fez “está certo” e que a aplaude por “agir tão rápido”.

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.