As duas mulheres são próximas de Khazat Azimov, o autor do ataque, segundo o mesmo procurador.

Uma das mulheres, radicalizada aos 19 anos, casou-se religiosamente com Abdoul Hakim, um dos amigos de Khazat Azimov, antes de tentar partir para a Síria, adianta a Agence France-Press, citando fonte próxima do inquérito.

O ataque de sábado resultou na morte de um jovem de 29 anos e causou quatro feridos na zona da Ópera de Paris, no centro da capital francesa.

Pouco antes das 21:00 locais (20:00 em Lisboa), um homem esfaqueou peões indiscriminadamente e gritou “Allah Akbar” (Alá é grande) na rua Monsigny, entre as movimentadas zonas da Ópera de Paris.

O agressor foi abatido pela polícia, minutos depois, na mesma zona.

O Estado Islâmico (EI) assumiu a ação num breve comunicado difundido pela agência Amaq, próxima do grupo terrorista, cuja autenticidade não pôde ser confirmada, e no qual assegura que o atentado foi praticado por “um soldado do Estado Islâmico”.

Fontes próximas do inquérito, citadas pela AFP, afirmaram que o francês nascido na Chechénia estava classificado com uma ficha “S” (para segurança do Estado).

Não tinha antecedentes criminais, mas figurava nos ficheiros dos serviços secretos que incluem mais de 10.000 pessoas, entre as quais radicais islâmicos e com ligações a movimentos terroristas, bem como ‘hooligans’ e membros de grupos da esquerda radical ou da extrema-direita.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.