De acordo com informação disponibilizada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, uma hora depois do fecho das mesas de voto, o PS era o segundo partido mais votado, com 30,40%, seguido pelo CDS-PP, com 5,74%, e pelo BE, com 1,06%.

A CDU, coligação formada por PCP e PEV, obtinha 0,92%.

O JPP surgia como a décima força política mais votada, com 0,52%.

Às 20:00 ainda não havia qualquer mandato atribuído, sendo que a Assembleia Legislativa da Madeira tem 47 deputados, sendo necessários 24 para uma força política conseguir maioria absoluta.

Fechadas aquelas 8 freguesias (14,81% do total), a taxa de abstenção situava-se em 48,82%.

Estavam registados para o escrutínio de hoje 257.758 eleitores, dos quais 252.606 na ilha da Madeira e 5.152 na ilha do Porto Santo.  Relativamente a 2015, quando se realizaram as últimas regionais na Madeira, são mais 526 eleitores.

Uma projeção da RTP/Católica avançada durante a tarde dava conta de que o PSD iria vencer hoje as eleições legislativas regionais na Madeira, com 37% a 41% dos votos, o que lhe retiraria a maioria absoluta no parlamento. Com este resultado, o PSD elegeria entre 19 e 23 dos 47 deputados da assembleia regional.

De acordo com a projeção, o PS alcança 34% a 38% dos votos (17 a 21 deputados), o CDS-PP 5% a 7% (dois a três) e o JPP 3% a 5% (um a dois).

Segue-se a CDU (PCP/PEV), com 1% a 3% (zero a um deputado), o BE, também com 1% a 3% (zero a um), e o PAN, com 1% a 2% (sem deputados).

A projeção apontava também para uma taxa de abstenção entre 41% e 46%.

Nas eleições regionais de 2015, quando se registou uma abstenção recorde de 50,42%, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta – com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares (44,36% dos votos).

Em 2015, a segunda força política foi o CDS-PP, com 13,71% e sete mandatos, seguida pela coligação Mudança, que juntou PS, PTP, PAN e MTP, com 11,43% e seis mandatos.

O JPP alcançou 10,28%, elegendo cinco deputados, enquanto a CDU ficou com 5,54% e dois mandatos, à frente do BE, com 3,8% dos votos e também dois mandatos.

Os 2,7% conquistados pela Nova Democracia permitiram a eleição de um deputado.

Nessas eleições, antecipadas devido à demissão do então presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, a abstenção foi 50,42%.

As mesas de voto fecharam às 19:00 nas duas ilhas do arquipélago (Madeira e Porto Santo).

Nestas eleições concorrem 16 partidos e uma coligação, que disputam os 47 lugares no parlamento regional.

PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.