Estes novos investidores, que se juntam ao empresário Mário Ferreira, da Douro Azul, que comprou em maio 30,22% do capital da dona da TVI, por 10,5 milhões de euros, controlam em conjunto 44% do grupo, ficando a faltar saber quem adquiriu os restantes cerca de 20%, dos 64,47% vendidos pela espanhola Prisa.

Num comunicado divulgado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) no dia 04 de setembro, a Media Capital deu conta de uma comunicação da Prisa, garantindo que a venda da sua posição, a "diversos investidores" não "resultará num novo domínio sobre a empresa".

Triun

O grupo Triun, presidido por Paulo Gaspar e que tem como beneficiários Mariana Gaspar e Francisco Miguel Gaspar, sendo os três filhos de Avelino Gaspar, presidente do grupo Lusiaves, adquiriu 20% da dona da TVI, com 16,9 milhões de ações.

A Triun SGPS investe em imobiliária e agricultura e "também em outros setores da economia", como na área hoteleira. "Fruto do crescimento positivo da sua atividade ao longo dos últimos 11 anos, a Triun SGPS detém hoje uma forte posição contabilística com um capital social de 7,2 milhões de euros e capitais próprios de mais de 52 milhões de euros, permitindo o investimento contínuo nas suas áreas de investimento 'core', e a diversificação para novas indústrias", lê-se no 'site' da empresa.

Contactada pela Lusa na semana passada, fonte oficial da Lusiaves esclareceu que o investidor, a Triun, é "uma empresa que não pertence ao grupo Lusiaves nem a Avelino Gaspar e que tem como presidente do Conselho de Administração Paulo Gaspar".

Zenithodyssey

O grupo detido por várias empresas que adquiriu 16% da Media Capital (13,5 milhões de ações) à espanhola Prisa.

A sua maior acionista, com 50% é a CIN, empresa de tintas, sedeada na Maia. No dia 04 de setembro, o presidente executivo da empresa, disse ter aproveitado "alguma liquidez disponível" para participar, no que pode ser um "negócio interessante".

"Temos alguns projetos que ficaram pendurados e, por isso, estamos a meter alguma liquidez que temos disponível num negócio que pode ser interessante", afirmou João Serrenho em declarações à agência Lusa.

A Polopique, empresa têxtil de Santo Tirso, controlada por Luís Miguel Carvalho Lopes Guimarães, conta com 18% do capital desta sociedade e a Volume Volátil, sedeada em Fafe e controlada pelo empresário Filipe Barbosa Carvalho, com 12%.

A Zafgest – Imobiliária, sedeada em Guimarães e controlada por Rui Armindo da Costa Freitas e a Alfredo & Carlos, também de Guimarães e dominada pelos empresários Alfredo José Machado Alves Pereira e Carlos Alberto Machado Alves Pereira detêm cada uma 10%.

Fitas e Essências

A sociedade Fitas e Essências é controlada por Stéphane Rodolphe Piccioto, que pertence à têxtil Confetil, com sede na Maia. No seu LinkedIn, o gestor informa que trabalha na Confetil há 26 anos. A sociedade por si dominada adquiriu 3% da Media Capital, num total de 2,5 milhões de ações.

DoCasal Investimentos

Esta sociedade é controlada e gerida pela conhecida apresentadora Cristina Ferreira, sócia maioritária, e comprou uma posição de 2,5% no capital da dona da TVI, depois de adquirir 2,1 milhões de ações. Cristina Ferreira trocou recentemente a SIC pela TVI, já com a vontade de ser acionista da Media Capital.

Manuel Lemos de Ferreira Lemos

Gestor ligado à área hospitalar, administrador do Hospital Terra Quente, em Mirandela, adquiriu 2% do capital do grupo (1,6 milhões de ações). É ainda vogal do Conselho Fiscal da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.