Os ursos têm-se reunido perto do vilarejo de Ryrkaypiy, que tem entre 600 e 800 habitantes, pois, como resultado das mudanças climáticas, o gelo no mar não está sólido o suficiente para permitir que cacem, informaram a imprensa russa e a organização ambiental WWF.

Com a chegada dos ursos, os aldeões arranjaram, a uma distância razoável da vila, cadáveres de morsas para alimentá-los.

"Juntamente com outras organizações, criamos este ponto de alimentação com corpos de morsas que reunimos ao longo da costa e os ursos estão a comer", explicou à agência Ria Novosti Tatiana Minenko, chefe de uma associação local que patrulha para proteger os ursos.

"Esse fenómeno perto de Ryrkaypiy tem se repetido várias vezes nos últimos anos", e a situação está "sob controle", disse a região de Chukotka em comunicado. No entanto, "por razões de segurança, todos os eventos públicos foram cancelados no vilarejo", disseram as autoridades.

No entanto, segundo Minenko, devido ao grande número de indivíduos, os machos estão a monopolizar a comida, repelindo as fêmeas e os filhotes.

A presença de ursos na zona, explica a especialista, já não é um fenômeno excepcional, pois há anos que o gelo se está a formar tarde, um dos efeitos das mudanças climáticas. "Até que haja um grande nevão, o mar não ficará coberto e os ursos permanecerão na costa", explicou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.