A explosão ocorreu na manhã desta segunda-feira, 11 de dezembro, no terminal de Port Authority, perto da famosa praça Times Square. O mayor de Nova Iorque, Bill de Blasio, disse não ter duvidas de que se tratou de uma tentativa de ataque terrorista.

"Vamos ser claros — isto foi uma tentativa de ataque terrorista. Graças a Deus que o autor não atingiu os seus objetivos primordiais. Os nossos agentes chegaram ao local rapidamente e os ferimentos que conhecemos até ao momento são menores", disse o autarca.

Numa série de três mensagens, de Blasio diz também que a cidade é um "alvo" por "provar que uma sociedade de muitas fés e muitas origens funciona" e apela aos cidadãos para ficarem alerta e denunciarem qualquer suspeita que tenham.

O ataque ocorreu num túnel na estação de Port Authority, no centro de Manhattan, cerca das 07:30 locais (12:30 em Lisboa), em plena hora de ponta, quando um homem fez explodir um artefacto que levava amarrado a si.

Numa nota publicada na rede social Twitter, a polícia de Nova Iorque dizia esta manhã estar a "responder a relatos de uma explosão de origem desconhecida", em Manhattan.

A polícia de Nova Iorque indicou, através da rede Twitter, que os feridos não correm perigo de vida, queixando-se de dores de cabeça e zumbidos nos ouvidos.

O autor da explosão, que sofreu queimaduras no abdómen e nas mãos, foi detido.

O homem, de 27 anos, transportava um “engenho explosivo rudimentar”, indicou o chefe da polícia, James O’Neill.

Segundo as autoridades, o homem vive em Brooklyn e pode ter ascendência do Bangladesh. O autor disse que se tinha inspirado no Estado Islâmico, mas aparentemente não teve qualquer contacto com o grupo radical.

Toda a área em volta da estação foi encerrada e acorreram para o local várias viaturas da polícia e dos bombeiros. O incidente causou constrangimentos na circulação do metro e dos autocarros e o trânsito rodoviário foi interditado.

Na primeira nota da polícia, publicada por volta das 12:45 em Lisboa (08:45 em Nova Iorque), as autoridades diziam que as linhas do metropolitano A, C e E haviam sido evacuadas.

Numa atualização publicada pelas 13:35, a polícia de Nova Iorque confirma a detenção de um suspeito e indicava não ter registo de feridos para além do próprio suspeito. Informação entretanto atualizada pelos bombeiros nova-iorquinos, que disseram, também no Twitter, haver quatro feridos, todos ligeiros.

O alegado autor do ataque foi levado para o hospital de Bellevue e os restantes três deslocaram-se pelos próprios meios, explica o comissário Nigro.

No local estiveram elementos da polícia, bombeiros e da brigada anti-explosivos.

O incidente causou atrasos nas linhas de metropolitano que passam na mesma zona. E algumas ruas continuam cortadas, diz a polícia numa atualização divulgada nas redes sociais.

Port Authority é o maior terminal de autocarros dos Estados Unidos, servindo cerca de 65 milhões de pessoas por ano.

O presidente Donald Trump já foi informado da situação, de acordo com a Casa Branca.

Nas redes sociais há também imagens e vídeos que alegadamente mostram a mobilização das autoridades junto ao local.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.