“O ano de 2016 foi um grande ano em termos de mobilidade de estudantes internacionais em Portugal, uma tendência que tem vindo a verificar-se nos últimos anos”, afirmou a Uniplaces, revelando que o número de arrendamentos na plataforma cresceu 183% face a 2015.

Os dados do relatório da Uniplaces sobre o mercado de arrendamento a estudantes são baseados nos contratos de arrendamento mensais feitos por estudantes portugueses e estrangeiros em Lisboa, Porto e Coimbra durante 2016.

Neste âmbito, o relatório concluiu que Lisboa continuou a ser a cidade mais procurada (74%), tanto por estudantes estrangeiros como portugueses, contudo “foi o Porto (21%) que teve a melhor evolução no ano, com o número de arrendamentos a aumentar quase 300% face a 2015”, posicionando-se em último, em termos de preferências, a cidade de Coimbra (5%).

Além do crescimento da procura, a plataforma ‘online’ para alojamento de estudantes universitários registou um aumento do lado da oferta, verificando-se uma subida de 33% no número de anúncios.

Em relação à nacionalidade dos universitários alojados em Portugal através da Uniplaces, 77% dos estudantes eram estrangeiros, provenientes de 109 países diferentes, o que representou “um ligeiro decréscimo face a 2015 (85%)”, de acordo com os dados do relatório.

Do total de estudantes estrangeiros em Portugal, 67% eram provenientes de nove países: Brasil (13%), Itália (11%), Alemanha (10%), França (9%), Espanha (9%), Polónia (5%), Holanda (4%), Grã-Bretanha (3%) e Bélgica (3%).

Sobre a duração da estadia, a média situou-se nos 4,9 meses, verificando-se que são os estudantes portugueses os que ficam alojados durante períodos mais longos, em média um mês a mais do que estudantes estrangeiros (5,7 meses e 4,7 meses, respetivamente).

“Já os gastos com renda mensal, que se situaram nos 415 euros, mostram um cenário diferente: são os portugueses que estão dispostos a pagar menos por renda (395 euros por mês face a 420 euros por mês por parte de estudantes estrangeiros)”, apurou o relatório da Uniplaces, revelando ainda que são os estudantes do Reino Unido que estão dispostos a pagar mais pelo alojamento em Portugal, gastando em média 496 euros por mês.

Os gastos em alojamento também variam consoante a cidade. Lisboa é a cidade onde os estudantes pagam mais por renda mensal, que em média ronda os 438 euros, seguindo-se Porto, com uma renda média de 378 euros, e Coimbra, onde o gasto médio no alojamento é de 274 euros por mês.

“Arrendar um quarto em Lisboa fica, em média, 16% mais caro do que no Porto”, revelou a plataforma.

Relativamente à tipologia do arrendamento nas três cidades, 80% dos estudantes optaram por arrendar um quarto, 19% arrendaram uma casa e 1% arrendou uma cama.

A sazonalidade da procura foi também outro dos pontos abordados no relatório, que mostra a existência de “uma maior procura por arrendamento no início dos semestres escolares”.

“Os meses com maior procura são setembro e fevereiro, sendo que, de modo geral, os estudantes fazem a reserva com um mês de antecedência. A estadia média, de quase cinco meses, corresponde ao período semestral das universidades e dos programas de intercâmbio”, referiu a Uniplaces.

Segundo a plataforma ‘online’, é expectável que a tendência de crescimento do mercado de arrendamento a estudantes em Portugal se mantenha em 2017.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.