"Não fiquem em casa em novembro. Se amam o vosso país e amam os vossos filhos, como sei que fazem, exerçam o vosso voto com consciência", disse Cruz, que foi imediatamente vaiado pelos delegados na Quicken Loans Arena de Cleveland, onde decorre o evento.

"Votem em candidatos nos quais confiem para defender a nossa liberdade e que sejam fiéis à Constituição", pediu Ted Cruz no seu longo discurso, na terceira noite desta convenção. O discurso de Cruz acontece depois de Trump ser oficialmente nomeado candidato do partido às presidências, que acontecem em quatro meses. O milionário deverá aceitar a candidatura esta quinta-feira, último dia da convenção.

Crítico, e sem garantir o seu apoio a Donald Trump contra a democrata Hillary Clinton, Ted Cruz foi como um “balde água fria” nesta convenção, destinada a promover a unidade do partido.

O senador do Texas, que o mundo político reconhece como possível pré-candidato à presidência em 2020, tinha felicitado Trump na véspera pela nomeação, mas voltou a criticar as carências ideológicas de quem o derrotou nas primárias: "merecemos líderes que defendam princípios, que nos unam em torno de valores compartilhados, que prefiram o amor à raiva".

Pouco antes do discurso de Ted Cruz, o governador conservador de Indiana, Mike Pence, tinha aceitado a indicação do partido como candidato à vice-presidência dos Estados Unidos. Mike será o braço direito de Trump na corrida à Casa Branca.

"Vocês elegeram para presidente um homem que nunca se rende, que nunca decepciona, um lutador, um vencedor", disse Pence no seu discurso na convenção.

"Até agora tem feito tudo por sua conta, contra todos os prognósticos, mas esta semana, este partido unido apoia-o, e a 8 de novembro sei que vamos eleger Donald Trump como o 45º presidente dos Estados Unidos”, acrescentou.

Pence admitiu não partilha do "estilo colorido e repleto de carisma" de Trump, mas revelou que quando recebeu a oferta de Trump aceitou imediatamente.

Aclamado na terça-feira como candidato presidencial do GOP (sigla do Partido Republicano em inglês), o magnata de 70 anos quer unir o partido em torno da sua candidatura, depois de umas primárias marcadas pelo confronto e pela polémica.

"Este é o partido de Trump agora", disse à emissora CBS o seu chefe de campanha, Paul Manafort. 

Fiel a sua personalidade de "showman", Trump aterrou com o seu helicóptero em Cleveland e saudou os seus apoiantes, impressionados por apertarem a mão do empresário que promete “tornar os EUA grandes outra vez”.

As atenções estão agora voltadas para o discurso que irá proferir esta quinta-feira, dia em que deverá aceitar oficialmente a nomeação. Na corrida à Casa Branca, Trump vai enfrentar a democrata Hillary Clinton. As eleições presidenciais são a 8 novembro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.