“Estas acusações podem mudar ou aumentar à medida que prossegue a investigação”, disse Sessions numa conferência de imprensa.

O diretor do FBI, polícia federal, Christopher Wray, confirmou que o suspeito é César Sayoc, como tinham adiantado vários órgãos de comunicação social, e que as autoridades tinham detetado 13 dispositivos explosivos nos pacotes que enviou a figuras conhecidas de todo o país.

Christopher Wray alertou ainda que pode haver outros pacotes.

Sayoc, de 56 anos e residente em Aventura, na Flórida, corre o risco de ser condenado a uma pena de prisão até 48 anos.

Na conferência de imprensa, o responsável do FBI negou que os dispositivos enviados pudessem ser falsos e disse que continham material que podia ser perigoso para as pessoas.

Desde segunda-feira que várias personalidades democratas norte-americanas, incluindo o ex-presidente Barack Obama e a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, derrotada nas eleições presidenciais de 2016 contra Donald Trump, foram alvo de encomendas contendo explosivos.

O ex-vice-presidente democrata Joseph Biden foi outro dos visados pelos pacotes bomba.

Nos Estados Unidos decorre a campanha eleitoral para as eleições legislativas, marcadas para dentro de dez dias.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.